Rascunho versos. Neles, sentimentos.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

FANTASIA DE POETA





Sim,
escrevo,
ou melhor,
rascunho.

Rascunhando tento passar a vida a limpo.
Triste engano:
não há tempo!

Deixo rastros nas palavras
que não podem ser apagadas,
por dentro!

No papel acredito-me poeta,
tal Nerudas e Florbelas,
fantasio o momento!

Que se recobre de alegria,

às vezes monotonia,
e quase sempre
lamento!


No bloco do eu-sozinho
desfilo sem rota ou caminho,
Prossigo!


 ©rosangelaSgoldoni
01 10 2010
RL T 2 531 259

Publicada na Antologia Café com Verso vol. 3 2014, Editora Delicatta, SP

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

CHUVA EM FINAL DE ESTAÇÃO





Sou chuva em final de estação:
tenho plena conviçção.
Lavo minh’alma empoeirada,
irrigo as lavouras do sertão.
Acalmo o pó sedento da estrada,
alimento lagos e o ribeirão.
Mas não trago chuva nos olhos,
apesar do contraditório
que você declarou ser paixão.
Vai chovendo a minha vida
aguardando nova estação!

©rosangelaSgoldoni
28 11 2011
RL T 3 362 224

SOU ABSTRATA


RL T 2 959 985

domingo, 27 de novembro de 2011

PROVEDOR DE ALMAS


RL T 3 360 526

UM AMOR EM DESCOMPASSO





UM AMOR EM DESCOMPASSO

Melancolias de uma vida
nas cordas de um violão,
notas a dedo escolhidas
pranteia o meu coração.

Defiro passagem à harmonia,
absorvo a vibração;
o piano em total euforia
incorpora-se à canção.

E eu, dolente compasso,
perco as rédeas da emoção;
você, amor descompasso,
levou-me à exaustão.

Não espero da vida resposta:
 uma triste fase transposta!

©rosangelaSgoldoni
28 11 2011
RL T 3 360 332

FACES DAS MINHAS SAUDADES



Minhas saudades  têm muitas faces,
alguns odores
e muitos disfarces.
Saudades da  boneca que não tive,
do cheiro da merenda na frasqueira.
Saudades do travesseiro do meu pai;
dos limites impostos por minha mãe:
incompreensíveis na tenra idade,
mas entendidos na contiguidade
de uma vida em formação.
Saudades das festas juninas
e brigas com meus irmãos;
das frutas colhidas no pé
ao alcance das minhas mãos;
dos filhos, que pequeninos,
demandavam  minha atenção.
Do amor que não pude viver:
este,
camuflado em camas ardentes
e vividos intensamente.
Vagueio por entre saudades,
com certa tranquilidade;
pois as que ferem realmente
são  as daudades do presente!

©rosangelaSgoldoni
27 11 2011
RL T 3 359 676
Publicado na Antologia Mulheres Fascinantes II, 2013 Editora Delicatta

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

SÓ TENHO MEUS VERSOS





SÓ TENHO MEUS VERSOS

Poderes mágicos,
poções encantadas:
não domino tais fórmulas!
Quisera ser privilegiada,
deitar-me na relva macia
e materializar-te em minha companhia.
Mas não posso, só tenho meus versos
e comportamento um tanto discreto.
Contento-me borboleta
a pousar sobre uma roseira
no canteiro do teu jardim.
Na esperança de notar-me,
ou quem sabe, aprisionar-me
nas delícias do teu amor.

©rosangelaSgoldoni
26 11 2011
RL T 3 357 163

O POEMA QUE GOSTARIA DE TER ESCRITO



O POEMA QUE GOSTARIA DE TER ESCRITO

Gostaria de ter escrito um poema onde textualmente declarasse:
"consciência não tem cor".
Ensaiei alguns versos
mas,
o politicamente correto
paralisou-me..
Lamento, cidadão,
mas não existe conceito de raça,
consciência não tem data marcada.
Preconceito, um  conceito extenso,
e eu, pobre mortal, indignada!
Que se indignem contra
todos os discriminados;
precisamos de homens pacificados
se pretendermos viver globlizados.
Gostaria de ter escrito
e escrevi!

©rosangelaSgoldoni
26 11 2011
RL T 3 357 101

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

25 DE NOVEMBRO: DIA DE LUTA CONTRA A VIOLÊNCIA À MULHER



25 DE NOVEMBRO: 
DIA DE LUTA CONTRA A VIOLÊNCIA À MULHER

Se não sofreu,
já ouviu falar.
Cuidado,
não bate somente na porta ao lado.
Não é problema seu?
Desculpe-me, afirmo:
é problema nosso,
MULHERES,
que enfrentam a vida
e não dependem da sorte.
Dependem de dignidade,
cabeça erguida
para enfrentar a vida.
Mas se é um vítima,
não se cale:
seja física ou moral,
violência não é rotina:

escrevo para todas as MARIAS!

©rosangelaSgoldoni
24 11 2011
RL T 3 354 286

terça-feira, 22 de novembro de 2011

SOU ESPERANÇA



SOU ESPERANÇA

Hoje não comento nada.
estou irritada,
o problema é só meu!
Lamento pelas palavras,
mas sou verdadeira,
não camuflo meu “eu”.
Hoje o teclado embaralha,
o verso se cala,
emudeceu!
Amanhã retomo a alegria,
brotará poesia:
sou esperança!

©rosangelaSgoldoni
23 11 2011
RL T 3 351 364

MEUS COMPANHEIROS DE VIAGEM



Surpreendo-me intensa
chegando ao Aeroporto.
Meus companheiros de viagem:
um laptop e decisão.
Decisão um tanto tardia,
mais um surto de coragem
que me traz no dia a dia
surpresas inadiáveis.
Desembaraço-me de expectativas
que me prendiam ao passado,
você me deu sobrevida,
agora meu tempo é ocupado:
realizo com valentia
o que parecia idealizado.
©rosangelaSgoldoni
04 11 2011
RL T 3 351 269

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

BÚSSOLA NA ESCURIDÃO




Mais uma partida,
outras saídas
e solicitações.
O rumo é certo,
traçado coberto
pelo GPS da insatisfação.
Longitudes 
pré-determinadas,
verdadeira imantação:
bússola na escuridão!
Precisos afazeres
em busca de uma brecha
de total libertação.
E parto com pressa,
o tempo não espera
na idade da razão
(se razão houver).
 


©rosangelaSgoldoni
24 10 2011
RL T 3 349 245



PROMESSAS DE AMOR PERFEITO




Você entrou na minha vida
de forma irreverente:
plantando sementes
de amor-perfeito
e promessas de cuidar
deste jardim.
Acreditando na colheita
fiz-me rosa,
suave e delicada,
geneticamente manipulada.
Despi-me dos espinhos,
preservando seu coração.
Mas o jardim não foi cuidado,
esqueceu-se de irrigá-lo,
não resistiu à erosão.
Foram-se os amores-perfeitos
e ficou a solidão.


©rosangelaSgoldoni
21 11 2011
RL T 3 347 998

E O SOL BRINDOU-NOS COM SUA PRESENÇA


A MAIS BELA POESIA!








domingo, 20 de novembro de 2011

ZUMBI, O GRANDE MENTOR


Tela: Zumbi por Antonio Parreira
Museu Antonio Parreiras - Niterói RJ


ZUMBI, O GRANDE MENTOR
DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA  
20/11
Branco
Negro
Amarelo
Vermelho
Cores de uma bandeira?
Seria perfeito,
não sugerisse preconceito!
Branco é o gelo
Negra a senzala
Amarelo o ipê
Vermelho, senhor da mata!
A intolerância ainda insiste
nos ultrapassados conceitos de raça.
As descobertas Genéticas
sobrepõem-se à estética
imposta pelas cores
e séculos de dissabores.
Que todas as consciências
despertem neste Planeta!

A negra já se ocupou
e com valentia resgata
valores de sua cultura,
respeito, orixás e consagra
Zumbi o grande mentor,
dos Palmares  resistência declara.
Garrotes, açoites, grilhões
hoje repousam em museus;
troncos e pelourinhos,
decoram algumas praças,
a consciência fluiu
e hoje é festejada.

©rosangelaSgoldoni
20 11 2011
RL T 3 345 935