terça-feira, 28 de janeiro de 2020

DAS MEMÓRIAS DE AMOR



A luz da sala continuava acesa.
Teclava algumas palavras sem sentido no laptop ligado.
A janela entreaberta
deixava escapar alguns fachos que se
refratavam nos pingos de chuva além da varanda.
Um mosaico de cores dançava desorientado
em meio à escuridão da estrada.
Memórias...
Um sopro de vento sacudiu as venezianas.
Levantou-se aflita e trancou-se naquela sala fria.
Melhor deixar os sonhos dormindo lá fora.

©rosangelaSgoldoni
18 01 2020
RL T 6 852 772

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

DA MINHA JANELA




Nubladas ou solares,
da janela da sala
rosas e icsórias
vivem a sorrir.
O tempo,
entre formigas e cigarras,
passa pelas estações da vida
sem ponteiros ou amarras,
percebi.
O faz de contas me encontra
para sonharmos à sombra
da paz que construí.

©rosangelaSgoldoni
22 01 2020
RL T 6 848 102

sábado, 18 de janeiro de 2020

ESTAÇÕES EM QUADRA




Nascimento em primaveras,
ebulições, pleno verão;
pílulas outonais douradas,
invernos em hibernas ou porões.

©rosangelaSgoldoni
11 01 2020
RL T 6 844 742

domingo, 12 de janeiro de 2020

SARAU DA FAZENDINHA (PARA JÚLIO NO SEU PRIMEIRO ANO DE VIDA)



Meu coração anda assim:
derretido,
enternecido,
numa floração de sentimentos desconhecidos
e intensos.
Pulsa forte!
Toada de viola em lua cheia
onde o tempo
une-se ao vento
para varrer e desidratar
algumas partículas de mágoas subjacentes.
Há um olhar inocente a seduzir o poeta.
Sem amarras,
apenas abraços e carinhos descomplicados de amor.
Júlio neto
seria março
mas escolheu janeiro
para nos surpreender com o seu sorriso
acolhedor.                                             

Vó Rô 13 01 2020
RL T 6 839 984

quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

AO DEUS-DARÁ



Amavam-se em segredo.
Deixavam-se partir sem consciência.
Partir em distâncias,
anonimatos,
círculos viciosos
ausências e desagrados.
Mas quando se permitiam agradar
rolavam na inocência da paixão,
do tesão
no tempo de brincar.
Finalmente,
deixaram-se ao deus-dará.
Mas Deus não deu...
E o final feliz 
sublimado!

©rosangelaSgoldoni
03 01 2020
RL T 6 838 176

quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

VENTOS DA MINHA VIDA



Brisas ou ventanias,
vendavais em movimento,
sopram por nostalgias,
fantasias ou arrependimentos.
Cantam nas alegrias,
embalam os pensamentos,
singram os mares da vida
acolhem pressentimentos.
Alísios me adormecem,
ciclones me atormentam,
ao vento de cada dia
um brinde em agradecimento.

©rosangelaSgoldoni
02 01 2020
RL T 6 832 871

MEMÓRIAS E INFÂNCIAS

Brigou pelo não ser enquanto subia em direção ao estômago da mãe. Talvez pretendesse esquivar-se da luz que a aguardava. Não ad...