Rascunho versos. Neles, sentimentos.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

PROPOSTAS E RELEITURAS




Ao patinar na loucura
camuflam  tessituras,
verdades e coerências.

Voam em pensamentos
páginas que alimentam
propostas e releituras.

Ecoam mistérios solenes,
incontroversas sementes
das mãos que procuram um leitor:
escrever, um ato de amor!

©rosangelaSgoldoni
27 07 2013
RL T 4 410 676

sexta-feira, 26 de julho de 2013

DESFOLHANDO PECADOS



Há lua lá fora...
A névoa acorda!
Incensos de rosas
inebriam sementes...
dormentes!
Germinam certezas
de natureza
subjacente.
Desfolho os pecados,
recubro-me orvalho,
repudio a impaciência.
Leniência!

Rogoldoni
25 07 2013
RL T 4 406 539

sábado, 20 de julho de 2013

INFINITO E DEFINITIVO




Prováveis,
impossíveis,
corroídos,
redimidos
Sempre vivos!
Os que ainda serão vividos!
Síntese da vida:
o amor que se pretende infinito.
Somente arriscar é definitivo!

©rosangelaSgoldoni
19 07 2013
RL T 4 396 063

quarta-feira, 17 de julho de 2013

"COM VIVER"




“Com-Viver” é condição inequívoca ao ser humano.
Algumas pessoas simplesmente recusam-se
a entender ou ignoram (por conveniência)
as regras que permeiam as relações sociais.
E, quando chamados à realidade, “batem em retirada”
(solução prática) para que não se detenham a refletir.
É mais fácil voltar a transgredir.
Ignorar limites, quando se vive em sociedade,
é mascarar-se liberdade em detrimento
à cordialidade que deve
pautar um convívio
minimamente aceitável.

©rosangelaSgoldoni
17 07 2013
RL T 4 391 721

segunda-feira, 15 de julho de 2013

ASSIM NASCEM OS POEMAS



dos presentes
que a vida
nos dá
ou
quando
os recolhe
(muitas vezes
sem nos avisar)! 

©rosangelaSgoldoni
30 06 2012
RL T 3 753 450
Poesia publicada na Antologia Poemas à Flor da Pele, vol. 7, 2013

DELÍRIOS DE CORTESÃ




Sonhou príncipes,
princesas
e outros títulos de nobreza.
Castelos,
armaduras,
fantasiosas criaturas.
Coisas de adolescência...
Romantismo à parte,
a realidade sobrepujou-se.
Perdida a inocência,
cobriu-se de prudências
à sombra das ilusões.
No entanto, a verdade
transparece em sua face:
delírios de cortesã.

©rosangelaSgoldoni
15 07 2013
RL T 4 388 949
Publicada na Antologia Mulheres Fascinantes II, 2013 Editora Delicatta, SP

domingo, 14 de julho de 2013

DECLARAÇÃO AOS AMIGOS



Faço parte de diversos grupos de amigos que, 
muitas vezes, se mesclam.
De almoços a baladas,
De poesias a eventos culturais.
As portas foram-me abertas pelas redes sociais.
Preciso dizer mais?
Obrigada a todos!

rosangelaSgoldoni
14 07 2013
RL T 4 386 130

sexta-feira, 12 de julho de 2013

FEBRE DE AMOR




Um cordão invisível e vibrante,
o vento em prelúdio distante
arrebata-me (discreto torpor).

Introito de amor, alaúde;
meus olhos cerrados, desfrute;
você, minha febre de amor.

Desperto, o sonho é breve;
a calma, fruto da prece;
minha’alma leveza em clamor!

©rosangelaSgoldoni
12 07 2013
RL T 4 384 659

segunda-feira, 8 de julho de 2013

VERSOS SEM SENTIDO





Envolveu-me tal feixe de luz
e prosseguiu sem fazer história:
intensidade moderada,
divergente trajetória.

Luminosidade quase despercebida,
breve momento de vida
sem previdência ou mistérios.

Certezas reveladas nestes versos
não sentidos,
e
desconexos.

Etílicas evaporações da memória.

©rosangelaSgoldoni
10 07 2013
RL T 4 378 463

domingo, 7 de julho de 2013

PORTA ENTREABERTA



Mantenho a porta entreaberta
por motivos de precaução:
não quero deixar espaços
que se ocupem da solidão.

Deixo a porta entreaberta
por tratos de hospitalidade:
quem sabe se apresentem à porta
projetos de felicidade?

Janelas escancaradas,
aguçam a imaginação,
sortilégios desmesurados
alimentam-me à exaustão;
mas só a porta entreaberta
é esperança de transposição.

©rosangelaSgoldoni
07 07 2013
RL T 4 376 048

terça-feira, 2 de julho de 2013

IMPRESSÕES METAFÓRICAS





Andando em círculos,
orbitei versos
nas passarelas cósmicas.
Impressões meteóricas,
um tanto metafóricas,
céleres inconclusões.

Certezas não conferem credibilidade
ao meu universo em permanente transformação.

©rosangelaSgoldoni
02 07 2013
RL T 4 368 873
Poesia publicada na Antologia Poemas à Flor da Pele, volume 7, 2013