Rascunho versos. Neles, sentimentos.

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

CÉU E BOCA




Céu e Boca

gota
a
gota,
céu e boca,
pantagruélico
paladar.
gargantua,
força bruta,
contraturas
a
desprezar:
do amor sem armaduras
às cortesias medievais.
impor-se ao amar restrito
é navegar e naufragar no cais.

©rosangelaSgoldoni
31 10 2013
RL T 4 624 151

sábado, 21 de dezembro de 2013

UM CERTO FINAL DE PRIMAVERA





Retomo a caneta em repouso.
Três, cinco anos, não sei ...
Retorno partida, quebrada e vazia
mas firme nos meus passos.
Caminho sozinha,
enfrentando ventos contrários.
Procuro não olhar para os lados,
sigo em frente: não pretendo recolher cacos.
Batalhas, vencidas ou perdidas,
acima de tudo, sobrevividas.
Queria o sim,
vivi o talvez,
cheguei à solidão:
sem medos, enfrentando pesadelos..
Não sei se isso é paz,
percebo que, de  alguma forma, me atrai.
São poucos os planos,
apesar do desânimo,
sou dona de mim!

©rosangelaSgoldoni
07 12 1998
RL T 2 716 026

SABOR DE PISTACHE



SABOR DE PISTACHE

Eu
gosto
do
teu
gosto.
Um sabor de pistache
com calda de chocolate.
Nem sei se combinam
mas aí que reside o charme.
E quando te aproximas
estendendo-me a mão,
transformo-te em sobremesa
consumo até a exaustão.

rosangelaSgoldoni
04 04 2011
RL T 2 895 937

O SONHO É ALIMENTO




O Sonho é Alimento

Não se desgaste com o futuro,
Ocupe-se do presente.
O hoje é o que se tem de seguro,
amanhã, possibilidade latente.

São tantas as reviravoltas
que a vida nos apresenta!
Não alimente a revolta
e tenha sempre em mente:
o passado não retorna,
aposte no hoje, somente.

Mas não deixe de sonhar,
o sonho é alimento
que pode se realizar
independente do momento.

rosangelaSgoldoni
13 12 2010

RL T 2 695 315

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

JESUS DE NAZARÉ







JESUS DE NAZARÉ

Eis que o menino,
(homem distinto
entre seus pares),
tornou-se o emblemático
sinônimo de paz!

Feliz aniversário, Jesus de Nazaré!
Feliz Natal aos homens de fé!

©rosangelaSgoldoni
16 12 2013
RL T 4 613 654

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

DEZEMBRO: ABERTO PARA BALANÇO




Gangorras ultrapassadas,
balanços são inevitáveis.
Conferem certo conforto
aos incômodos e enjoos que
nos surpreendem no
Grande Parque
da Vida.
Balançando os dias,
sacudimos o arquivo da memória,
separamos o impuro da história,
resguardamos as melhores emoções.
São presentes definidos, trajetórias
seletivas de carinho e amor.

©rosangelaSgoldoni
13 12 2013
RL T 4 611 127

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

ALMOÇO E JANTAR



ALMOÇO E JANTAR

Você,
de tantos sabores,
faces plurais,
jogos sensuais,
abre meu apetite.

A dieta reclama
mas não faço drama.

Só quero na cama
você na bandeja,
almoço e jantar.

rosangelaSgoldoni
10 04 2011
RL T 2 899 746

FLOR DO PECADO



FLOR DO PECADO

Partiu.
Rasgando o chão da estrada,
alimentando o tempo e a espera
num momento de indecisão.
Voltou!
Trazendo um sorriso nos lábios,
aroma de flor do pecado,
rompantes de amor e paixão.

Despedida intempestiva
a salvo de solidão!

©rosangelaSgoldoni
07 12 2013
RL T 4 602 052

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

[RE]VISÃO DE ROTINA





[RE]VISÃO DE ROTINA

Rotina não!
Cacofonia que reverbera
nas profundezas da [in]consciência.
Processo contundente,
fragmentos incandescentes
nos [des]caminhos da cognição.

Abro portas ao futuro
e lanço-me pés descalços.
Não me ocupo das  [Iim]previsibilidades.
Meu tempo insiste em regozijar-se:
faz planos sem autorização.
Vidraças estilhaçadas
reconfiguram-se estradas e borboletas
prontas a me seduzir.

Rogoldoni
17 08 2013
Revisada em 07 08 2014
RL T 4 608 534

sábado, 7 de dezembro de 2013

COISAS DO TEMPO





COISAS DO TEMPO

Não me estranho frente às cãs
que hoje teimam
renascer em meio à tinta,
senhora distinta,
que mantém,
naturalmente,
um ar de dignidade.
Mas surpreendo-me quando
percebo nos filhos e seus amigos,
grisalhos entrelaçados por entre as madeixas,
antes fartas,
agora acanhadas.
Coisas do tempo
que não aceita argumentos,
não tem preconceito,
só cartas marcadas!
Melodia de amplitude definida e
pelas mãos de Deus afinada.

©rosangelaSgoldoni
08 12 2013
RL T 4 603 225

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

BASTIDORES





BASTIDORES

adormece o tempo
saudade atemporal
transitam banalidades
estio festival
sentimentos condutores:
ATORES!
comédia desumana
história sem catarse,
máscaras e disfarces,
ensaio eventual
humanos sonhadores:

BASTIDORES!

©rosangelaSgoldoni
17 10 2013
RL T 4 600 648

UM BRINDE À POESIA DEZEMBRO 2013


domingo, 1 de dezembro de 2013

DEZEMBRO





Que venha dezembro grávido de esperanças!
Gravidez a termo
(trinta e um/primeiro),
à luz de fogos de artifício
e promessas
de sorrisos de crianças!

©rosangelaSgoldoni
01 12 2013
RL T 4 594 712

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

HOJE SINTO SUA FALTA




HOJE SINTO SUA FALTA

Hoje lamento a sua falta,
recaída de um amor impossível;
sei que amanhã tudo passa,
mas, agora, importante é o que sinto.

Quero nossos beijos escandalosos,
escondidos, proibidos e explosivos.
Totalmente envolvida em seus braços,
nossos corpos em êxtase e arrepios.

Bem sei que nosso amor não tem hora,
mas agora, de você, como preciso...

©rosangelaSgoldoni
15 01 2010
RL T 2 675 314

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

TRATOS E GENTILEZAS





Franqueaste-me,
por tumultuados sensores,
as portas do coração.

Meus laços, agora serenos,
propagaram-se em tormentos
abalando tuas certezas.

Não me julgues indiferença!

Hás de dar tratos às gentilezas:
do alto das minhas incertezas
ainda resiste o perdão!

Quem sabe a rosa que não me deste
(a mesma que hoje prometes)
sirva-me de inspiração?

Rogoldoni
25 11 2013
RL T 4 586 130

domingo, 24 de novembro de 2013

CORAÇÃO DELINQUENTE





CORAÇÃO DELINQUENTE

Mar encrespado!
Algas luminescentes
transmutam-se margaridas
em movimentos reincidentes.

Há que se cuidar
o coração imprudente:
viciado em seu apaixonar,
apaixonar-se-á novamente?

Não resistirá à força do mar
(ou do amor?)
este coração delinquente!

©rosangelaSgoldoni
17 11 2013
RL T 4 574 110

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

FIAPOS DE LUCIDEZ (POEMA TÍTULO DO LIVRO)


Publicado no  E-BOOK ENTRETONS, volme 2, comemorativo de 8 anos da Associação Cultural Poemas à Flor da Pele, 2014


Meu sono em atraso
não cria laços,
somente fiapos
de lucidez.

Meus sonhos opacos
reclamam cansaços,
demandam aquarelas
e nitidez.

Meu verso enjaulado
requer seu espaço,
capenga e no claustro,
é timidez.

Invoco Hipnos!
O poema desperta nos braços de Morfeu!

©rosangelaSgoldoni
22 11 2013
RL T 4 582 782
Poema Título do meu Livro.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

NITEROI, SUA GENTE E UM SORRISO

Niterói celebra 441 anos em 22 11 2014.




Niteroi, sua Gente e um Sorriso

Busco teu sorriso
nos rostos
apressados,
desavisados,
maltrapilhos,
bronzeados.
Busco teu sorriso nas madrugadas,
nas varandas e calçadas gradeadas.
Mas só o encontro nas tuas belezas,
arquitetura, praias, natureza,
Teu povo parece-me acanhado.
Quero teu sorriso além dos engarrafamentos,
dos meliantes que grassam pelos becos,
praias limpas onde possa caminhar.
Quero o teu sorriso em gargalhadas,
segurança em cada esquina, em cada praça,
quero voltar a sorrir contigo, Niteroi!

©rosangelaSgoldoni
Niterói, 13 de novembro de 2013
RL T 4 569 356

Niteroi, Cidade Sorriso, única cidade no Brasil fundada por um Índio: Araribóia, em 22 11 1573
Primeiro IDH do RJ
Sétimo IDH do Brasil
Décimo Segundo Lugar entre as 100 melhores cidades brasileiras para negócios (Firjan)
Niteroi é a segunda cidade do mundo em obras, atrás somente de Brasília, de Oscar Niemeyer (Wikipédia)

terça-feira, 12 de novembro de 2013

LANÇAMENTO DA ANTOLOGIA POEMAS À FLOR DA PELE VOL. 7

Lançamento no Memorial Rio Grande Sul  (Feira do Livro) e
jantar de confraternização.








QUASE UMA DAMA





Porto Alegre, madrugada de um dia qualquer.
“Qualquer” perde o sentido frente com a verdade:
madrugada em que retomo o ostracismo
num subsolo (semi coberto) do hotel onde me hospedava.
Quase uma dama (mantendo a elegância);
nas vizinhanças, Quintana.
Relembro seu quarto desarrumado
(cinzeiro, poesia e café).
Por aqui: cerveja, caneta, cigarro e papel.
Sentada na escada,
rotulo-me anárquica em meio aos Andradas.
Dispenso a lucidez:
senso diluído em espumante liquidez.
Que me critiquem os pudicos:
não queimarei nas fogueiras
por enfrentar desafios.
A minha loucura tem proposituras
que não se coadunam
com meias verdades!


©rosangelaSgoldoni
12 11 2013
RL T 4 568 606

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

REENCONTRO




Havia:
uma chuva que precipitava tristezas;
um viaduto a pedir clemência;
um rio (que ainda se acreditava rio) a gritar por transbordar.
Eu,
involuntária espectadora,
à procura de um bar.
Reencontro:
um violão ao acaso,
poesia e teclado,
amigos a conversar.

Mas a chuva, teimosia e fartura,
incomodava sem se incomodar.

Abriguei-me noite e amigos,
descartei meu lado arredio,
lancei à chuva um esgar:

Reenergizou-se meu quasar interior.

©rosangelaSgoldoni
07 11 2013
RL T 4 561 333

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

SIMPLESMENTE CALO



SIMPLESMENTE CALO!
 
Calo
os calos criados
que calejaram
a minha emoção.
Calo
o ressentimento
que me devora o coração.
Calo
o indisplicinado
que subverte a minha razão.
Calo,
simplesmente calo
o que sinto
por ti:
amor e paixão!
 
Rogoldoni
20 09 2011
RL T 3 231 280

terça-feira, 5 de novembro de 2013

VAI-TE DE MIM






Vai-te de mim!

Não suporto mais,
não tenho paciêcia,
só muita querência..
Vai-te de mim!

Tuas idas e vindas
de interregnos distantes
tornam-me claudicante!
Coitada de mim!

(Palavras escolhidas nos vade-mecuns
da vida - puro disfarce - pareço ruim).

Não faças promessas
que não possas cumprir.
Vai-te de mim!

©rosangelaSgoldoni
22 03 2007
RL T 2 506 856

domingo, 3 de novembro de 2013

SEGUNDA-FEIRA




SEGUNDA-FEIRA

Não reclame a segunda-feira: um dia a recomeçar.
Tantos esperam por ela e não tem para onde voltar.

rosangelaSgoldoni
03 11 2013
RL T 4 555 050

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

VIDEO DE LANÇAMENTO DA ANTOLOGIA MULHERES FASCINANTES II


PARTICIPANDO





SACERDOTISA DE ALÉM-MAR



De tropeço em tropeço
liberto-me dos grilhões que me determinavam os caminhos.
Já posso mudar o rumo sem satisfação ao mundo que me encerrava.
Jarro quebrado,
escorro pelas ruas à procura de rios e mares em que possa navegar.
Ergo a fronte,
encaro o horizonte,
permito-me asas de tuiuiú,
chapéu
e filtro solar.
Pés descalços,
vida pulsando (in)certezas,
profano ditados e ditadores:
consagro-me sacerdotisa de além-mar.

©rosangelaSgoldoni
01 11 2013
RL T 4 552 265