Rascunho versos. Neles, sentimentos.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

PRUDÊNCIAS DE ANO NOVO



Nathalie Cole e Nat King Cole - Unforgettable (Inesquecível) - 1952 




PRUDÊNCIAS DE ANO NOVO;
REFLEXÕES DE UMA SEXAGENÁRIA



Recebo este Ano Novo com certa prudência,
afinal,,
apresento-me aos sessenta.
Passagem melindrosa, sentidos em polvorosa
ao raiar da minha nova década.
Eu a rotularia de
 “escala descendente”!
No entanto, manter-me-ei serena
ao ultrapassar a fronteira.
Plantei muito, colhi o suficiente.
Errei muito, mas não me fiz repetente.
Mágoas, se as causei,
foram involuntárias.
Tive ares de santa,
desci do altar,
optei por me aventurar.
Isento-me de culpas ou arrependimentos.
Mas o tempo,
ah, o tempo,
irredutível em seu calendário,
não negocia:
proclama-se único e legítimo vencedor!
Eu o desafio e declaro-me
viajante sagaz
que o transpassa com atitudes e audácia.
Que venha 2013 e tantos mais:
com prudências,
paixões e
eloquências!

©rosangelaSgoldoni
27 12 2012
RL T 4 055 897

sábado, 22 de dezembro de 2012

DOS SONHOS...





Dos sonhos não me disperso,
embora ensaiem partir;
revigoram-se a cada verso
que ainda teimo em parir.

20 12 2012
©rosangelaSgoldoni
RL T 4 049 469


Publicada na II Antologia Poetas Fazendo Arte em Búzios, 2013 Editora Somar

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

IDEALIZAÇÕES DE NATAL



Natal
de sonhos infantis:
um sapatinho
vazio
à
espera
da
boneca
sonhada
(que nunca chegava).
Natal
dos sonhos atuais:
família, amigos
reunidos,
dentro do possível,
em clima de
harmonia e
paz!
E isto depende de nós!

Feliz Natal!

©rosangelaSgoldoni
19 12 2012
RL T 4 044 445

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

ABRAÇO INESPERADO







Passeava distraída,
sorriso disfarçado.
Caminhada interrompida
por uma pergunta descabida (?!):
 - “Aceita um abraço?”
Atordoada,
sem entender nada,
em frações de segundos,
tomei pé da situação:
jovens, em frente ao Masp,
doavam abraços
por um mundo melhor.
E por que não?
Sem titubear,
estendi os braços.
Aplaudi e fui aplaudida,
sorri desprevinida.
O domingo ficou mais feliz:
renasci criança num planeta em paz!

©rosangelaSgoldoni
16 12 2012
RL T 4 042 916 

UM NATAL DIFERENTE





Procuro um Natal diferente,
que contemple a toda gente
com respeito e união.

Preciso dum Natal coerente,
onde se faça presente
o aniversariante cristão.

Penso um Natal reverente
onde a fome ausente
e a mesa farta de pão.

Peço num Natal eloquente,
que partilhe a semente
da real confraternização.


14 12 2011
©rosangelaSgoldoni
RL T 3 389 595




segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

VISÕES




Eu me amo,
Tu te enganas,
Ele se devora.
Nós, palco da da vida.
Vós, marionetes corrompidas.
Eles, claque esfuziante!

©rosangelaSgoldoni
18 12 2012
RL T 4 041 247

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

POETAS E SEUS MISTÉRIOS






Poetas:
quase párias,
quase profetas.
Profissão
predestinada:
procura
palavras
desnorteadas.
Conectá-las
ou não,
basta
papel
à mão.
Poetas:
quase asas,
quase provocação.

©rosangelaSgoldoni
13 12 2012
RL T 4 033 596

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

MARES DE SOLIDÃO




Não
sei
se
ainda
te
amo
ou
me
acostumei
com
você.
Dúvida que não incomoda
pois sou predisposta às
oscilações das marés e paixões:
timoneiro que navega
guiado pelas estrelas,
esperanças na algibeira,
singrando mares de solidão.

©rosangelaSgoldoni
30 11 2012
RL T 4 031 435

sábado, 1 de dezembro de 2012

FELIZ DEZEMBRO, FELIZ ANO NOVO!







Virando páginas da agenda,
surpreendo-me dezembro
do gregoriano calendário.
Mês de fechamento,
balanços, contabilidades…
Renovam-se esperanças
para o ano novo que,
aos 31, se descortina!
Fogos e confraternizações,
Natal, chuvas de papel picado:
dezembro de harmonizações!
Que nossos saldos sejam postivos
a cada percurso desta viagem.

©rosangelaSgoldoni
02 12 2012
RL T 4 015 555

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

PAGANDO PRA VER




Eu passo…
você passa…
disfarçamos não sei o quê;
mas há sempre “um rabo de olho”
denunciando nosso querer.
Somos dois atrapalhados
em assuntos de viver,
não há tempo pra “não-me-toques”,
os ponteiros estão a correr.
Que tal encararmos os fatos?
Que tal pagarmos pra ver?

©rosangelaSgoldoni
21 11 2012
RL T 4 013 816


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

INSPIRADA POR BECKETT





Não entendi nada.
Não quero entender nada.
Desisti de entender!

Chorei muito.
Não mais quero chorar.
Desisti das lágrimas!

Tentei de tudo.
Tentei demais.
Desisti de esperar!

Te amei muito.
Te amei demais.
Desisti de te amar!

Não sei por que
este poema louco
teimou em nascer.

Lembrei-me de Beckett,
o absurdo repete-se
no meu jeito de ser!


©rosangelaSgoldoni
06 11 2011
RL T 3 319 729

terça-feira, 27 de novembro de 2012

21 DE DEZEMBRO: O MUNDO VAI ACABAR?




Final
existencial,
territorial,
recidivo.
Tristes indícios:
animosidade,
falta de solidariedade,
ódio incentivado,
violência por instinto.
Sobreviveremos
ao
mito?
21 de dezembro…
ainda é tempo
de alterar
o
veredicto!

©rosangelaSgoldoni
28 11 2012
RL T 4 008 860

E não se acabou!




NATAL REPENSADO





Luzes,
 muitas luzes anunciam o Natal:
evocam a estrela de Belém,
anunciam a chegada dos Reis Magos.
Há movimento nas lojas,
nas ruas,
feéricas escadas rolantes,
atropelos e sacolas de todo o porte.
Supermercados abarrotados de gente e alimentos:
há que se preparar a ceia e trocar presentes.
Acredito num Natal diferente,
que aproveite a toda a gente!
Luz interior que leve água ao sertanejo;
mãos limpas que nos livrem de verminoses;
todos sentados à mesa sem medo de torpedos;
pão farto e paz abundante:
o aniversariante  sorrindo, ao centro,
colhendo a safra que há 2000 anos semeou.

Feliz Natal com Cristo,
Nosso Senhor e Salvador!

©rosangelaSgoldoni
27 11 2012
RL T 4 007 518


domingo, 25 de novembro de 2012

INSTINTO PROTETOR





Pérolas desavisadas
acreditam-se maculadas
pelo grânulo invasor.
Pobres pérolas aprisionadas,
não entendem que, nacaradas,
anulam seu malfeitor.
Ensaio os caminho da natureza,
não que seja conveniência,
talvez instinto protetor.

E quando machucada por fartas evidências
torno-me bivalve por contingência:
encerro-me véu nácar transparente,
envolvente redoma interior.

©rosangelaSgoldoni
14 09 2012
RL T 4 005 200


quarta-feira, 21 de novembro de 2012

TRISTEZAS DE UM RIBEIRÃO



O ribeirão adormecido,
manso,
tranquilo,
acordou em meio a um pesadelo.
Triste descrevê-lo
enfurecido,
devorando margens,
árvores indefesas,
plantações de tomates-cereja.
Invadiu casas,
destruiu sonhos:
perdeu-se do curso traçado
percorrendo um caminho bisonho.
Depois de tantos estragos
o ribeirão desaguou:
refez-se transparente e piscoso
assim que a chuva passou.

©rosangelaSgoldoni
16 11 2012
RL T 3 998 500


terça-feira, 20 de novembro de 2012

SILENCIOSA MADRUGADA




Madrugada escandalosamente silenciosa:
incomoda!
Sequer um latido aos meus ouvidos.
A saudade se aproveita da minha fragilidade
e tenta me seduzir.
Monto barricadas imaginárias
que me protejam das tuas lembranças.
Fecho a janela e vou dormir.

©rosangelaSgoldoni
20 11 2012
RL T 3 995 625


Publicada na II Antologia Poetas Fazendo Arte em Búzios, 2013 Editora Somar

domingo, 18 de novembro de 2012

ALEGRIA DE RENASCER




Mantenha-se
distante,
pois
o meu momento
celebra
a alegría
de
renascer…
sem você!

©rosangelaSgoldoni
14 11 2012
RL T 3 992 508


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

DE BRAÇOS DADOS COM A VIDA



 
Vez por outra solto a voz.
Na cozinha,
onde estiver.
De preferência,
sozinha.
Não hei de prestar contas
das minhas dissonâncias.
Escolho o repertório
com o dedo sobre a lesão
não cicatrizada.
Em três tempos: curada!
Sigo imunizada,
livre de cicatrizes:
prossigo
de braços dados com a vida.

©rosangelaSgoldoni
15 11 2012
RL T 3 987 789