sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

ANO NOVO EM MIM




Mais um final ou
seria recomeço?
Depende da ótica,
do apreço pelas lembranças
ou dos necessários esquecimentos.
Basta o ponteiro virar para a ilusão do recomeço!
E eu que não previa ultrapassar o terceiro milênio
encontro-me à beira da segunda década no atual calendário.
Na verdade, não me canso de dar cordas ao relógio do tempo!
Juntos, sigamos os ventos de boas-vindas!
Feliz 2020!

©rosangelaSgoldoni
18 12 2019
RL T 6 827 986

terça-feira, 17 de dezembro de 2019

SOBRE MÁSCARAS




Belas
ou
sarcásticas;
místicas
ou
dissimuladas;
chinesas,
gregas,
venezianas escondidas,
alienígenas...
Nas tragédias ou comédias distraídas
camuflam sentimentos,
nostalgias,
o poder das feitiçarias,
energias do bem e do mal!
Assim são as máscaras no teatro da vida:
HUMANAS!

©rosangelaSgoldoni
11 11 2019
RL T 6 821 285

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

RENOVANDO MEUS PEDIDOS A PAPAI NOEL






Querido Papai Noel,
volto a escrever-te com o mesmo entusiasmo da infância.]
Apesar da sucessão de estações, ainda moram alguns sonhos dentro de mim.
Aviso (será preciso?) que não sou tão inocente quanto a menina que pensava na impossibilidade do presente porque na sua casa não havia uma chaminé.
A tristeza fazia-me companhia mas não me zangava.
É certo que guardo alguns sonhos e agradeceria que fossem, dentro do se possível, realizados.
Na impossibilidade, reenvie minha correspondência registrada ao Sr. Jesus.
Necessários e urgentes são:
- o respeito, por princípio, em todos os reinos da natureza;
- o essencial em saúde, educação, segurança, lazer, moradia, alimentos, trabalho a todos os habitantes do planeta;
- a todas as casas, sem exceção, uma chaminé imaginária para que as crianças sejam contempladas com sua presença no Natal e,
por último,
a solidariedade entre os povos e suas religiões, políticas e decisões no trato do bem comum.
Assinado:
A menina, hoje senhora, que reaprendeu a sonhar.
rosangelaSgoldoni
10 12 2019
RL T 6 816 043


quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

OBRIGAÇÃO X GENTILEZA




Hoje foi assim:
ameaça de chuva e ônibus cheio.
Não hesitei. Entrei assim mesmo.
Os bancos destinados aos idosos ocupados por jovens.
Não estava a fim de confusão. Penso que ainda tenho mais vigor do que muitos deles, sem falsa modéstia.
Caminhando pelo corredor cheguei próximo à porta de saída quando uma jovem me ofereceu o lugar.
Agradeci e respondi:
- Estou bem, não se incomode comigo.
Insistiu ao que respondi:
- Se houvesse necessidade não recusaria. Esteja tranquila. Agradeço a sua gentileza,
Para minha surpresa:
- Gentileza não, é minha obrigação. Gentileza seria um sorriso!
Obrigação seria de quem deveria me ceder o lugar reservado aos idosos afinal, ninguém se levantou.
E insistiu na "tal obrigação" e repliquei:
- ensinei meus filhos a serem gentis.
Continuei em pé e se ofereceu para segura minha sacola.
Aceitei.
Por coincidência, desceríamos na mesma parada, quando gesticulei com mão dando passagem para que descesse primeiro.
Abriu um largo sorriso e respondi:
agora sim,

valeu a gentileza, garota!


©rosangelaSgoldoni
05 12 2019
RL T 6 811 944

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

CELEBRANDO PAPAI NOEL




Aguardava todos os anos...
Sapatinho na janela
e um buquê de esperança.
Esperava até cansar e,
cansada,
dormia sem reclamar.
Talvez soubesse que o tempo
não fosse o de brincar.
Era preciso estudar.

E o relógio deu muitas voltas...

Naquela cidade um palácio,
uma criança em cada janela...
Um espelho emocional,
reviu-se em cada uma delas
no festejar do Natal!
Celebrou seu Papai Noel!

©rosangelaSgoldoni
03 12 2019
RL T 6 810 279




VERSOS PANDÊMICOS

Sem respeitar fronteiras, fraciona vida e morte em lotes de horror. Separadas por tubos e muros, famílias se desencontram ...