Rascunho versos. Neles, sentimentos.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

JOÃO SEM DEUS



Seria este homem um homem de Deus?
Seus ensinamentos e curas seriam de Deus?
Seria um falso profeta ou
o anticristo em apocalíptica festa?
Silêncios que se revelam em acusações além da mística confessa.
Professa milagres,
alardeia curas,
o homem culpado
pelos curados sem culpa.
Oh Senhor dos inocentes e indefesos,
protegei a fé que os ampara,
a credulidade que os sustenta,
a crença que não se abala.

Hosana nas alturas!

©rosangelaSgoldoni
11 12 2018
RL T 6 524 808

domingo, 9 de dezembro de 2018

PARA JÚLIO, FERNANDA E ROLF


JÚLIO
Virás em paz num provável março
de ansiedades e esperanças.
Alianças entrelaçadas
abençoadas pelo voo do beija-flor!
A grande Luz te envolverá ao primeiro choro
de vida sob o refletor da hora (in)esperada.
E todos ouvirão:
aquietai-vos,
Júlio nasceu!
©rosangelaSgoldoni
Niterói, 09 12 2018
RL T 6 522 434

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

CEIA DE NATAL





Singela ou sofisticada,
não se preocupe.
O importante é a presença do Aniversariante à mesa.
A festa é para Ele
que não pediu muita coisa.
Pão e Vinho,
Respeito e Carinho
Fé e Solidariedade,
Acima de tudo,
Caridade!

Feliz Natal!


©rosangelaSgoldoni
09 12 2010
RL T 2 663 328

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

UM ABRAÇO QUE SE PERDEU (em memória de Arthur da Távola)



Na Távola,
o Artur das Letras
percebia, entendia e escrevia
com a sensibilidade afinada às emoções
do quotidiano feminino.

Ele nas minhas leituras diárias dos jornais.
Crônicas em recortes dobrados na carteira.
Seu texto a me confortar.

Dele uma grande saudade:
guardo o abraço que não lhe dei
quando caminhava na Av. Erasmo Braga.
Eu, simplesmente congelada,
recuei.
Chorei sua partida uma semana depois.

©rosangelaSgoldoni
04 10 2018
RL T 6 518 329

Arthur da Távola faleceu no Rio de Janeiro, no dia 09 de maio de 2008.
O quase abraço deu-se na semana anterior.

domingo, 25 de novembro de 2018

METAMORFOSE


Terra molhada,
gardênia florida,
vida perfumada em transe!
Desperta o jardim entre lufadas de vento.
Percebem-se acordes d’uma harpa pulsante...
Ninfas alvoroçadas em bailado de
final da primavera,
inquietas e atentas,
apressam suas metamorfoses de verão.
Urgem sóis e exposição...
Há corpos ardentes e florescentes em precisão de amor!

©rosangelaSgoldoni
22 11 2018
RL T 6 511 232

sábado, 17 de novembro de 2018

ALDRAVIAS I E II INOCÊNCIA



Beijo
Trocado
Inocente
Recado
Ternura
Recato.

14 09 2013
Rogoldoni



Pueril
Amizade
Denota
Sensibilidade
Maturidade
Feliz

©rosangelaSgoldoni
15 09 2013
RL T 4 480 872

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

LEMBRANÇAS


Envolvida por lembranças
turbulentas,
reticentes,
eloquentes,
quase mudas,
efusivas,
absurdas,
refez seu horizonte num tapete de retalhos
costurado em pontos de exclamação!
Bordados ao léu,
riscos retraçados à sua inspiração.
Depois dos espantalhos,
a celebração.

©rosangelaSgoldoni
11 11 2018
RL T 6 502 840

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

(I)LÓGICA




Encontraram-se ao caso do casual.
Sensualmente hipnotizados,
conflitaram suas vontades com o que julgavam inevitável.

Resistiram até que a último vagalhão
os arremessassem ao abissal das emoções.

Intensidade em propulsão meteórica,
(i)lógica,
sem retórica ou metafísica.

Apenas tesão!

©rosangelaSgoldoni
07 11 2018
RL T 6 497 085

terça-feira, 30 de outubro de 2018

A VOLTA



Retorno ao Guaíba,
Quintana nas esquinas e
o poema à flor da pele.

©rosangelaSgoldoni
29/10/2018
RL T 6 490 552

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

METADES




Meia-noite,
meio-dia,
meia-volta,
meia vida.
Meio tonta e vazia
ao encontro da poesia.
Meio letra,
meio escrita,
tão poema e sinfonia.

Melodiou-se!

©rosangelaSgoldoni
24 10 2018
RL T 6 486 240

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

NÃO FOI COMO DEVERIA SER



Se Deus não quis,
se os astros não conspiraram a favor,
se o vida alterou nossos rumos,
o fato é que
estávamos ali,
frente a frente,
onde seu olhar se posicionou.
Apenas abaixei o rosto e sorri por dentro.
Você não precisava entender nada!

©rosangelaSgoldoni
17 10 2018
RL T 6 479 777

domingo, 14 de outubro de 2018

OUSADIA OU COVARDIA?




Não sei se sofro por ousadia
ou por excesso de covardia.
Não sei se sofremos por apatia
porque não temos, do amor, garantia.

Eu quero e penso em exclusividade,
Você companhia sem assiduidade.
Minha cabeça não entende a dualidade,
essa dicotomia transcende a realidade.

Você não me permite sequer um carinho
mas estremece assim que o desalinho.
Suplica-me que o momento estanque no ar
e que não devemos compartilhar.

E eu ansiosa aceito o proposto,
aparentemente finjo o acordo.
Cuidado o tempo está a passar,
não sei até quando vou aguentar.

©rosangelaSgoldoni
24 01 2011
T 2 748 330

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

BRUMADOS D'INHOTIM



Palmeiras perfilam-se em exóticos jardins.
Bancos esculturados convidam-nos ao descanso.
Sombras,
reflexos e
reflexões
nos abraçam por todos os cantos e recantos
enquanto a terra entoa seus mantras
subterraneamente amplificados.
O emblemático vento valsado
a siflar energias e sinfonias preenche-nos de gentilezas sensoriais.
Sobre o lago, uma ponte a unir
o impossível ao inacreditável da arte e da natureza.
Sintonia e harmonia a nos envolver,
arrepios à flor das espécies a nos percorrer,
ensaios verdejantes a nos doutrinar
com a delicadeza das palmeiras de Madagascar.

©rosangelaSgoldoni
14 09 2018
RL T 6 474 717



quinta-feira, 4 de outubro de 2018

ELEIÇÕES




Eu assisto
Tu prometes
Ele não cumpre
Nós acachapados
Vós irredutíveis
Eles absolvidos

Debates em deboche!


©rosangelaSgoldoni
04 10 2018
RL T 6 467 917

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

SENTIDOS (COM VÍDEO)



Encontraram-se ao acaso.
Buscavam o verdadeiro sentido da liberdade de viver.
Sentidos de luz,
de paz,
de pele,
ensaiaram o toque das mãos que se atraeam.
Atrações que não fossem fatais,
apenas banais aos
lençóis do amanhecer.
Algumas cores,
um vaso com flores
e o canto do sabiá.
Bandeja pequena,
um café,
um poema
e asas dispostas
e alinhadas para voar.
Alinhavaram um sentimento suspirado
em suspense de se assentar.

©rosangelaSgoldoni
25 05 2018
RL T 6 461 477




terça-feira, 18 de setembro de 2018

ABUSADA



Naquela noite escura,
breu absoluto sem lua,
abusou da imaginação:
ela, Greta Garbo insinuante;
ele, Clarck Gable envolvente.
Takes de um amor de cinema
projetados na tela da mente.

Cena e cenário desfeitos
pelo intempestivo da vida,
sonhou cinderela carente.
Acordou sorridente nos
braços de um príncipe qualquer.
Aos pés da cama,
um par de sapatos largados
(ordinária imitação de cristal).

©rosangelaSgoldoni
15 09 2018
RL T 6 451 988

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

UM RIO QUE SE FOI



Li no post de uma amiga:
"Sim o RJ é lindo... mas segurança ZERO" . Tomo a liberdade de completar sua frase: segurança zero em todos os sentidos, incêndios, desabamentos, degradação de logradouros públicos.
O Rio de Janeiro continua lindo mas somente a natureza traduz a sua beleza.
Onde foi parar a elegância da Cinelândia?
Mesbla, teatros, cinemas...
Hoje eu a revi em triste realidade: bares vazios, praça e becos fétidos, maltrapilhos deitados sobre seus bancos.
Senti medo e um toque de nostalgia dos tempos em que o relógio da rua do Passeio marcava o tempo.
©rosangelaSgoldoni
13 09 2018

RL T 6448029
imagem do google

sábado, 8 de setembro de 2018

HORIZONTES E LIBERDADE



Chamamentos
de
civismo,
clamores de cidadania
eivados de sentimentos simbióticos
agonizam
no pátio
da paciência,
leniência,
displicência,
conveniência pátria.
Acordai filhos desta Nação!
Há chamas que nos consomem
num mar de Histórias,
nas brasas da desunião,
opinião,
polarização em pontas de facas,
catracas a caminho da desilusão.
Hei de registrar o raiar da igualdade nos horizontes do Brasil!

©rosangelaSgoldoni
07 09 2018
RL 6 442 947