Rascunho versos. Neles, sentimentos.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

HOJE ESTOU QUINTANA (OU PASSARINHO)






Que me perdoe Drummond,
mas hoje estou Quintana.
Quintana no seu quarto,
no mapa da sua cidade,
que se sente incomodado
com os que lhe atravessam o caminho.
Drummond, à gauche ou à droite,
venho buscando equilíbrio,
e, apesar dos pesares,
sou firmeza em meus desatinos.
Perdão meu caro poeta,
mas eu e Quintana, passarinhos!

©rosangelaSgoldoni
02 11 2011
RL T 3 312 130

6 comentários:

  1. Lindaaaaaaaaaa!!!


    E emocionante, sempre! Te amo, amiga!

    Feliz com sua realização e felicidade! Que está na face, no olhar, no sorriso...

    ResponderExcluir
  2. Estarei mais atenta àqueles que tentarem atravessar o meu caminho.
    Obrigada, Telminha!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. ...e se precisar de ajuda para os que tentarem atravessar o teu caminho...eu "passarinho" juntinho com vc...rsss

    Bem, eu como não sou poeta..fico com os dois...Drummond e Quintana...

    Beijos
    Vera Parracho - 02-11-2011 - 03:43
    (nós e as madrugas)

    ResponderExcluir
  4. Obrigada, Vera!
    Eu também sou os dois, como poeta ou não.
    Foi tanto chão percorrido até aqui, tantas barreiras a ultrapassar e, na semana em que se comemora Drummond, peço desculpas a ele, mas festejo o meu caminhar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Amei esse poema, Rô.
    É bem você, assim... passarinho!
    Quintana floresce a gente, mas nunca esqueça Drummond.
    Traga sempre os dois dentro de si.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Não, Drummond é inesquecível. Acabei de fazer um em sua homenagem.
    Obrigada pela visita e comentário.

    ResponderExcluir

Seu comentário será bem-vindo!