Rascunho versos. Neles, sentimentos.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

CONTRATO DE FIDELIDADE



Não me agradam os contratos com cláusula de fidelidade!

Não resistirá uma das partes,
ou as duas.
Quem o sabe?
Aliás, contratos
exigem testemunhas identificadas,
não servem alcunhas.

Contrato é coisa séria, formal,

envolve conceito legal.
Amor não se submete a formalidades:
respeito e amabilidade,
carinho e sinceridade,
não precisam de certidão.

Quando o amor é doado,
os amantes abençoados,
basta Deus como escrivão!

©rosangelaSgoldoni
27 05 2011
RL T 3 040 83
Publicada na II Antologia Poetas Fazendo Arte em Búzios, 2013 Editora Somar

3 comentários:

  1. Rosângela, que poema lindo!!!!

    Os contratos de fidelidade também não me agradam, quando o amor é doado os contratos são rasgados!!

    Lindo demais!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Agradeço a presença e comentário, Suzana Martins!

    ResponderExcluir

Seu comentário será bem-vindo!