Rascunho versos. Neles, sentimentos.

sábado, 23 de julho de 2011

ATÉ BREVE OU NÃO



De repente,
um gosto enxabido
em total desalinho
com o meu coração,
tentando invadir minh’alma,
que se faz de calma
não quer confusão.

Levanto, vou até a janela,

a chuva começa
e eu solidão.

Quisera  

aqui estivesse,
você que me aquece
me abraça e enlouquce,
anula a razão.

É hora de mudar de casa,

pegar a estrada:
na mala saudades.

Eu saio, fecho a porta
não olho para trás.
Até breve ou
não!

©rosangelaSgoldoni
23 07 2011
T 3 114 788

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!