Rascunho versos. Neles, sentimentos.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

AMOR ESTRANHO




Um amor desalento
sobrevivente à razão
traduzido em silêncios
desacata a paixão.
Um amor desatento,
cordial solidão;
volta e meia no tempo
sensual tentação.

Um amor indomável,
acaso imaginário,
refém das fogueiras,
sensível e incendiário.

Este amor conta estrelas,
momentos,
fraquezas,
loucuras,
defesas,
até que o luar esmaecido
canse de suspirar!

©rosangelaSgoldoni
Esboçado em 18 02 2014
Revisado e concluído em 29 01 2014
RL T 5 118 585

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!