Rascunho versos. Neles, sentimentos.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

ALGUMA LUZ ALÉM DO PRONATEC






Surpreendo-me com uma citação inoportuna, ares de preconceito, numa rede social.
“O poeta é o primo pobre dos literatos , mas é o que mais doa riquezas.”
Não sei se a palavra preconceito é muito forte, talvez ignorância!
Poesia não é primo pobre de ninguém: antes, um gênero literário.
Literatura, termo abrangente, abraça diversas vertentes na arte da escrita desde a Antiguidade.
Um exemplo como definição,

“Literatura é a arte de criar e compor textos, e existem diversos tipos de produções literárias, como poesia, prosa, literatura de ficção, literatura de romance, literatura médica, literatura técnica, literatura portuguesa, literatura popular, literatura de cordel e etc. A literatura também pode ser um conjunto de textos escritos, sejam eles de um país, de uma personalidade, de uma época, e etc.” (*1)

Riqueza cultural no cordel, na poesia infantil, no minimalismo sagaz ou impertinente, no chacoalhar das mentes dos ávidos leitores, que também integram o mundo literário.
Seriam as obras de Fernando Pessoa, Mario Quintana, Cecília Meireles (somente para citar alguns) primas pobres de quem?
De fio a pavio...
Num país onde mais de quinhentos e trinta mil estudantes são reprovados em redação, há que se pensar em informação e leitura, no ser humano como um todo: alguma luz além do Pronatec.


©rosangelaSgoldoni
29 01 2015

RL T 5 119 102

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!