Rascunho versos. Neles, sentimentos.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A BRUMA






Aguardo a bruma que se apoxima.
A Lua brilha em sua plenitude.
Trago em mim esperanças discretas
sabendo que as desilusões se concretizarão.

Janelas e portas abertas,
entra sem cerimônia.
Deixo que se espalhe e
me envolva num abraço imaginário.

Transita pela casa e varanda,
desafia-me testando a solidão;
interrompo o transe, a emoção desanda,
retorno triste, os pés no chão.

©rosangelaSgoldoni
26 07 2010
revisada em 18 01 2
015

RL T 2 434 936

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!