Rascunho versos. Neles, sentimentos.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

TENHO CICLOS COMO O SOL




Respondo-te caro amigo,
o motivo do meu sumiço:

A urbe e sua violência explícita,
o engarrafamento que sufoca,
o esgoto que transborda
fizeram-me trocá-la pela roça.
Urbana, estou de passagem,
e passo pelos amigos
sempre que possível.
No meu interior há um lado rural
onde se troca o deserto do asfalto
pela poeira da estrada;
o monóxido de carbono
pelo cheiro da terra molhada;
grades e monitores
por cercas vivas em flores,
vivo amores e desamores.
Meu interior vai além da poesia:
um novo ciclo de vida
que também inclui viagens;
algumas traquinagens;
janelas abertas na madrugada;
a música que me agrada;
passeios pela Via Láctea
que se oferecem às minhas mãos.

 Percebes, caro amigo,
se houver algo de errado,
errado é o meu coração.

Mas nada é definitivo,
tenho ciclos como  o sol.

©rosangelaSgoldoni
05 04 2012
RL T 3 595 119

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!