Rascunho versos. Neles, sentimentos.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

CUPIDO: DESTA VEZ DECIDI ESCREVER



Carta Exercício Poético



Sabes que não sou dada a cartas.
Expresso-me nas poesias.
Mas tenho tanto a dize-te, amor, que o faço nestas linhas:
um misto de prosa e verso,
furacão X calmaria!
Queria poder falar, depois de tantas brigas, sobre o quanto de amor circula, nas artérias da minha vida. 
Esta é a dor mais dorida quando não mais acredito nas cores das telas que pintas. Colorido diluído até a próxima partida.
Queria poder confessar que a tua ausência machuca, mas devo me acostumar, apesar da minha desdita.
Quisera poder gritar meu amor em alta freqüência, mas a garganta bloqueia; emudeço quando teus olhos me fitam com ares de clemência.
Mais uma vez retornaste ao antigo porto e abrigo. Bandeiras de felicidade desfraldadas e promessas de um novo caminho; mesmo incredulidade, ofereci o meu ninho.
Quisera, pudera ... mas não devo!
É tempo de preservar-me e repensar este ciclo.
Meu amor incondicional cansou desta roda-viva.
Aproveite a última chance: entregue –se ou deixe-me em paz.
Mas, Cupido, ainda te espero intervindo!

©rosangelaSgoldoni
13 02 2012
RL T 3 499 825

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!