Rascunho versos. Neles, sentimentos.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

É TEMPO DE ENVOLVIMENTO E INDIGNAÇÃO


Jabor escreveu “O Discreto Charme da Corrupção”.
Apesar de concordar com o texto, ouso discordar do título, apesar de sarcástico.
Corrupção não tem charme, tem toques de ratazanas, delicadezas de polvos e seus tentáculos, centopéias tóxicas, sanguessugas escorregadias e, infelizmente, nos tempos atuais, propaga-se como vírus infectando corredores ditos inexpugnáveis.
Eu, cidadã, de salário sobrevivo. Faço parte desta cadeia alimentar com os impostos acachapantes que me são subtraídos, todos muito bem fundamentados, só não sei onde são empregados. Mas imagino.
Tenho plano de saúde, sou uma vítima especial: pago imposto e não uso rede de seguridade social.
Transporte só o necessário, optei por andar a pé, enquanto puder.
A construção civil explode, gera empregos; mas a cidade encolhe. Quase certo explodirá em breve tempo, já que não se investe em esgoto, galerias pluviais ou rede elétrica. O que importa é o alvará, que o IPTU vai gerar. Conclusão: “deixa estar para ver como vai ficar”.
Carros em profusão, uma perfeita combustão. Ruas estranguladas e pedestres sem calçadas.
E o mentidos e desmentidos?
Numa sequência que me toma por idiota, cansei de lorotas.
Patrimônios irrefutáveis, assessores descartáveis e uma bela mesa de reunião.
Minha Pátria me deixa triste diante de tanta canalhice.
Pátria de recursos infindáveis (naturais e jurídicos), leis inaplicáveis (com exceção daquele, que, como eu, não tem a menor possibilidade de contratar uma banca de advogados para protelar o improtelável), padrinhos inexplicáveis.
Acorda minha Pátria, esquece o toque de silêncio: é tempo de envolvimento e indignação!


©rosangelaSgoldoni
25 05 2011
23:13h
RL T 2 993 828

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!