Rascunho versos. Neles, sentimentos.

terça-feira, 26 de abril de 2011

REVENDO PESSOA





Quisera sentir como o poeta:
“A minha tristeza é sossego
porque é natural e justa."*

E, no entanto, inquieta
como água em ebulição,
dói-me a separação.
Transbordo em incertezas,
aguardo o seu sinal
em compasso de espera.

Minha tristeza é real
tal qual meu amor clandestino,
mesmo assim não desisto:
não desisto de viver.
Posso compreender:
"Estala coração de vidro".*

E a cada dia recolho os cacos,
quem sabe um novo mosaico...
Quem sabe você sinalize!
Tentando encontrar meu rumo
vivendo cada segundo
sem medo do ridículo.

Peço, poeta amigo,
companheiro de emoção,
ensine-me a ter sossego
em meio à solidão.


·        Heterônimos de Fernando Pessoa


©rosangelaSgoldoni
30/08/1992
RL T 2 437 033
Publicado em Fiapos de Lucidez
2014, Editora Somar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!