terça-feira, 22 de janeiro de 2019

TEORIA DA EVOLUÇÃO AMOROSA (FESTEJANDO A VIDA)


De repente,
algumas lembranças a
me tontear:
alegrias e correrias de viver
diante do novo ser que à luz se apresentava.
Voltei aos partos em trabalhos e relógios de prontidão.
Hospitais,
obstetras,
folhas de ponto codificadas com amor
(face à nova função maternal).
Um,
dois,
três foram as vezes,
ausências e paciências,
maternidades em gestação.
Hoje,
frente à filha mais velha,
antes menina,
hoje ninho onde o neto se aconchegou,
renasci avó em primeira viagem.
Despretensiosamente
traço caminhos para
minha teoria da evolução amorosa.

Vida que festeja a vida em nascedouro!

©rosangelaSgoldoni
13 01 2019
RL T 6 556 444
Revisada em 03 01 2020 para publicação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!

MEMÓRIAS E INFÂNCIAS

Brigou pelo não ser enquanto subia em direção ao estômago da mãe. Talvez pretendesse esquivar-se da luz que a aguardava. Não ad...