Rascunho versos. Neles, sentimentos.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

FELIZ ANO NOVO



NOVO ANO



Novo Ano

Já é tempo de um novo ano
e ponho-me a pensar
será verdadeiramente novo
ou um sonho que teimo em sonhar?

Esperanças que se renovam,
nelas quero acreditar;
lembranças que incomodam
meu mundo de pernas pro ar.

Mas invisto sem qualquer cautela
e meu tempo vou recriar:

ano novo numa aquarela
é hora de recomeçar!
©rosangelaSgoldoni
12/2009

RL T 2 693 384

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

CALOR (Da Série Brincando com Poesia)



Escabeche e maionese rimam,
afirma o poeta exausto pelo calor.
- Sim, mas onde está o poema?
- No sabor, caro leitor!

Rogoldoni
27 12 2016
RL T 5 864 560

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

DANÇA DAS CADEIRAS (2016/2017)



2016 chegou com fogos e artifícios
que se revelaram desastrosos:
Inflação
Desemprego
Delação,
No desfile de meses,
muitos sonhos  evaporaram
- transe financeiro -.
Sobrevivi à dança das cadeiras e cadeias
Vamos ao encontro de 2017
renovada em esperanças.

©rosangelaSgoldoni
26 12 2016

RL T 5 863 872

domingo, 25 de dezembro de 2016

FOI OU SERÁ?



“Amor y love you,
Amor y love you"...
A voz da Marisa fluía do rádio.
O céu,
 em gáudio,
revelou-me teu sorrir de encantamento
(tal fotografia imaginária).
Ali
naquele momento,
alucinações de um amor
que não se explicou.
Quem sabe,
 nalgum lugar,
num futuro
ou no passado ,
seja presente...

(Pres)sente um
coração cansado de interrogações.

©rosangelaSgoldoni
22 12 2016
RL T 5 863 061

domingo, 18 de dezembro de 2016

NATAL DAS CRIANÇAS SEM PAZ



Guerra de adultos,
violência sem dó maior.
Uma lágrima abre caminho
entre o sangue e o pó
na face do pequenino.
Do outro lado do mundo,
submundo,
pequeninos e suas armas.
Às vezes,
brinquedo,
outras não.

Então é Natal!
Que possam renascer crianças em Paz!

©rosangelaSgoldoni
RL T 5 857 239
18 12 2016

sábado, 17 de dezembro de 2016

INEVITÁVEL


Relia sua vida numa ampulheta.
Percebeu que o tempo brincava com os movimentos.
Do nascimento à maturidade
conviveu com as dificuldades
do percurso.
Persistente,
desviou-se das pedras;
lidou com promessas e quebras,
humores em oscilação
Alcançou o proposto!
Do alto da vida,
deu-se conta de que a descida era iminente.
Relutou mas não ousaria desafiar o tempo.
A ampulheta voltava a ser criança
dependente de cuidados e atenção.
Um caminho sem volta.
Seu tempo em contagem regressiva.

©rosangelaSgoldoni
08 09 2016
RL T 5 856 392


sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

ALÉM DA CHUVA



Quase do outro lado da vida,
sentia-se abatido,
amargurado.
Caminhava cabisbaixo.
Atravessava a madrugada fria
ao largo dos sonhos e projetos.
Uma chuva fina se aproximava.
Apressou o passo.
Seus prospectos de vida
impressos na mente febril
já embolorados pelo tempo
ainda  lhe proporcionavam um  certo bem-estar.
Quando a aurora se insinuou
caminhou pela estrada do sol,
expôs seus arquivos interiores
e envolveu-se nos primeiros raios de luz.

Ressuscitou!

©rosangelaSgoldoni
10 06 2016
RL T 5 848 846

sábado, 3 de dezembro de 2016

LEGADO


Sabemos: o sofrimento gera aprendizado!
Legado deste acidente da Lamia:
- Solidariedade!
Que possamos olhar mais um para outro,
na alegria ou no desconforto.

©rosangelaSgoldoni
03 12 2016
RL T 5 842 872

RETORNO A CHAPECÓ



Aplausos em marcha.
Chuva, choro, Chapecó
Despede-se uma cidade inocente.
Combustível e dor.

©rosangelaSgoldoni
03 12 2016
RL T b5 842 392

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

MANHÃ DE DOMINGO





Cedinho,
manhã de domingo,
precisava dum banho de cores.
O sol despontava na estrada.
A mata engalanada
desfilava seus  “dégradés”.
O céu, pronto para um mergulho,
sorria convidativo.
Um turbilhão de pólen
ativava os sensores dum beija-flor.
Desnorteado,
atravessou  minha janela,
sem licença ou chancela
sobrevoou-me sem pudor.
Murmurei:
- às roseiras, beija-flor!
Partiu por onde entrou.

O domingo vestiu-se de versos!


©rosangelaSgoldoni
28 02 2016
RL T  5 841 370