Rascunho versos. Neles, sentimentos.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

A IMAGEM DO ESPELHO

Exercício de Imagem


Perdeu-se entre atalhos.
Ultrapassou madrugadas
desorientada  na linha do tempo:
reencontrou-se na inteireza de ser mulher!
Tropeços,
percalços,
sorrisos
abraços,
um baú de sonhos
debaixo do braço
e um brilho diferente no olhar.
Hoje,
na face,
 o côncavo atesta:
vida vivida em festa
sorrindo para a imagem do espelho.

©rosangelaSgoldoni
25 10 2015
RL T 5 427 256

sábado, 24 de outubro de 2015

BREVE CANTIGA DE PRIMAVERA



Abaixo,
acima,
escada de vida,
rolante,
cativa
regente percurso
rasteja
ensina...
Desfilam
engrenagens
de sonhos,
faxinas,
retinas...

Coringas na manga
retocam a criança
numa breve cantiga de primavera.

©rosangelaSgoldoni
23 10 2015
RL T 5 425 238

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

JÁ VOU TARDE!



Noite entortada pelo vento.
Tremem as janelas de correr.
Resistem portas trancadas a sete chaves.
À luz empalidecida da rua
insetos vagueiam...
Percorrem-me arrepios frios
da tua ausência.
Fantasmas e
vestígios do passado
mesclam-se às minhas saudades.

Já vou tarde me recolher!

©rosangelaSgoldoni
14 11 2014
RL T 5 422 790

sábado, 17 de outubro de 2015

RESPINGOS DE VIVER



Entre ameaçador e claridade,
nesgas de azul se exibem
aos olhares sequiosos
de alguma novidade.
Epocam selfies:
há que se (com)provar
a surpresa do momento.
Desocupados
de medos e preços,
pressas e tropeços,
abandonam-se ao êxtase do
do sal que purifica o dia.
A moça que passa vende poesia...
O rapaz ao lado, cartões de loteria...
Hoje é dia de
cavalgar o mar encapelado,
beber água de coco à sombra
do equilíbrio,
malabarismos,
sol imaginário.
Mares...
Borrifar-se
com respingos de viver.

©rosangelaSgoldoni
14 05 2015
Arraial d’Ajuda BA
RL T 5 418 204

Classificada no Concurso de Poesias promovido pelo Claron
Centro Literário e Artístico da Região Oceânica de Niterói.

Publicado na Antologia Poetas Fazendo Artes "nas Gerais", 2016, organização Sonia Imamura, Editora Delicatta

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

terça-feira, 13 de outubro de 2015

LENDAS DO AMANHECER




Final de tarde.
Meio primavera, meio verão.
O canto de núpcias da cigarra
envolve a mata e ultrapassa
os limites da exaustão.
Cala-se a noite ante a simplicidade do ser:
pobre cigarra que vive a morrer de amor.

©rosangelaSgoldoni
12 10 2015
RL T 5 413 360

MEU HOMEM /MENINO




Parei na porta do quarto
para te ver dormindo.
Queria entrar e fazer um carinho.
Faltou coragem.
Não tinha o direito de incomodar
um momento de paz,
mesmo fugaz, só seu.

Dei meia volta
e,
pé ante pé,
roguei aos anjos,
a suavidade das harpas
para embalar os sonhos
do homem/menino,
que me fez sua mulher.

Rogoldoni
02 05 2004
revisado em 
12 10 215

sábado, 10 de outubro de 2015

VERDADES



verdades.
no leito,
às margens tórridas,
rios de paixão.

©rosangelaSgoldoni
08 10 2015

RL T 5 409 972

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

PICADEIRO DA VIDA em CIRCUS SUBLIME CD POÉTICO


CAPA: 
PINTURA A ÓLEO DE ALEXANDRE PAHECO 

PROJETO: GISELE SANT ANA LEMOS
(Diana Balis)
"CD Póetico, Circus Sublime, Festa em Homenagem ao Circo Nacional"
Trabalho em estúdio (gravação): Vânius Marques





Na boca do trombone
soprei teu nome.
Embocadura do trompete:
escondi meu chiclete.
Salpiquei purpurina
nos pés da bailarina;
na barba da barbuda
trancei borboletas.
Vesti-me de palhaço
para  te fazer sorrir
(nem aplausos ouvi).
Na rede do trapezista
embrulhei meus sonhos.
Acordei no picadeiro vazio.

rosangelaSgoldoni
11/09/2015
RL T 5 401 143

domingo, 4 de outubro de 2015

O RUGIR DA PAIXÃO






Sopra o tempo
no labirinto direito.
No esquerdo,
o rugir da paixão.
De
         Se
Qui
                 Li
        Bram-
Se
minhas verdades.

Meu diapasão interior adormece
em acordes dissonantes.

©rosangelaSgoldoni
16 12 2014
RL T 5 404 442

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

SONO EM DEBATE





Meu sono se debate
entre abalados alicerces
de uma sólida desconstrução.
Implosões esquadrinhadas,
devidamente milimetradas
desde os alicerces da razão.
Aspiro, dos sonhos, a poeira,
distancio-me da lassidão.

Reconstruo claras e evidentes emoções.

©rosangelaSgoldoni
Publicado em Fiapos de Lucidez