domingo, 2 de fevereiro de 2020

SÚPLICA



Como não reagir aos maus-tratos que me impõem
na modernidade dos tempos?
Como não transbordar a
fechamentos em concreto do meu leito original?
Como respirar os óxidos e monóxidos
do efeito estufa provocado pelos escapamentos,
motores ou incêndios pelas matas a rolar?
Enchentes, tsunamis, terremotos,
avalanches, vômito de lavas, nevascas...
Oh homem negligente,
imprudente nas suas decisões,
reverte teus desfeitos e
refaz naturalmente o presente
em tramas do bem-estar da tua casa!
Recarrega tua arma com açúcar,
atira contra o céu de nuvens brancas
e as crianças cobrir-se-ão de algodão doce.
Replanta a floresta em verde-escala,
degradés, arvoredos, bicho e mata,
borboletas celebrando a natureza.
Acorda homem fútil e inconsequente,
repense o combustível poluente
concede-me liberdade e fluidez!
Recicla-te!
O meio ambiente implora
e o planeta residência agradece!

©rosangelaSgoldoni
01 02 2020 RL T 6 856 630

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!

MEMÓRIAS E INFÂNCIAS

Brigou pelo não ser enquanto subia em direção ao estômago da mãe. Talvez pretendesse esquivar-se da luz que a aguardava. Não ad...