quarta-feira, 15 de maio de 2019

SENSORIAIS





Olho, não vejo.
Ouço, não falo.
Provo, não distingo.
Toco, não percebo.
Odores? Anosmático.
Os espúrios seguem desprovidos de novidades.
Sentidos!
Voo cego num mundo de obviedades.
O despertar revela-se em coloridos,
no som dos pulsares,
no sabor dos néctares,
nos filamentos de seda,
em aromas de viver.
Restart!
Rituais celebrados nos rincões da felicidade.

©rosangelaSgoldoni
03 12 2018 (concepção)
15 05 2019 (conclusão)
RL T 6 648 166

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!

VERSOS PANDÊMICOS

Sem respeitar fronteiras, fraciona vida e morte em lotes de horror. Separadas por tubos e muros, famílias se desencontram ...