quarta-feira, 8 de abril de 2020

DISTANCIAMENTO SOCIAL



Constatações deste momento de vida.
Meu distanciamento social rotulo como relativo, afinal desço todos os dias. Caminho por 25 minutos no condomínio e troco um dedo de prosa com o porteiro, gente boa e bem informado.
Os delivery’s da vida também são entregues por gente de carne e osso.
Filho no corredor; neto, filha, filha do Rio por chamada de vídeo (quando era criança, ouvia dizer que um dia falaríamos com as pessoas por telefone frente a frente...).
Tem a família e amigos no zap.
Confesso que fugi à rua por duas vezes (claro, com máscara). Fui à farmácia e, hoje ao mercado. Tudo muito rápido. Tipo fugidinha de idoso de idade mais avançada.
A rua parecia nua de gentes e de carros.
Os filhos quando souberam, zangaram.
Digamos assim, a virtualidade se impôs nesses tempos de um novo vírus.
Agradeço por respirar com tranquilidade, caminhar com alegria, pela família, ter amigos reais e virtuais, todos vocês aqui no face, vez por outra chateações que tiro de letra: isso significa que estou viva.
Por que escrevi essas linhas?
Lembrei-me dos médicos que sequer tiveram tempo de ligar para desmarcar suas consultas.
Mas tudo tem o seu tempo e ele também passa.
Um beijo a todos.

rosangelaSgoldoni
07 04 20
RL T 6 910 245

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!

MEMÓRIAS E INFÂNCIAS

Brigou pelo não ser enquanto subia em direção ao estômago da mãe. Talvez pretendesse esquivar-se da luz que a aguardava. Não ad...