sábado, 21 de março de 2020

CANTA, ITÁLIA!




Peixes, cisnes e golfinhos
voltam a circular pelos canais de Veneza.
Foram-se os plásticos turísticos
e o lodo sedimentado.

O cenário transmite sintonia e beleza
mas na tristeza das cidades impera o silêncio soberano.
Apenas o cantar plangente dos corações sobreviventes.

O homem curva-se à iminência da morte
nos hospitais da Lombardia
ao último ressonar de um respirador.

Falta equilíbrio ao ponderado da vida?

O racional mundial a criticar-se exclama:
repensemos nossas interações com a natureza maestrina,
urge reinventar-se o HUMANO em sagrada comunhão.

©rosangelaSgoldoni
21 03 2020
RL T 6 893 718

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!

VERSOS PANDÊMICOS

Sem respeitar fronteiras, fraciona vida e morte em lotes de horror. Separadas por tubos e muros, famílias se desencontram ...