quinta-feira, 28 de abril de 2011

ESTRADAS DA MINHA VIDA






Transito pelas estradas
num vai-e-vem contínuo;
sinto-me um tanto cansada
da Paz almejada, resíduos.
Vou me perdendo nas curvas
que outrora foram abrigos.
Sem conhecer  a rota,
à cata d’ algum sentido.

Sentido de sentimento,
sentido de direção,
qualquer sentido que traga
sossego ao meu coração.



©rosangelaSgoldoni
28 04 2011
RL T 2 937 168

Publicado na Antologia "Entre o Samba, o Fado e a Poesia" 2015
Comemorativa do II Encontro de Poetas da Língua Portuguesa.
Dowslley  Editora


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!

HAJA MATURIDADE! Dia nacional do idoso 27/09

  O tempo avança. As curvas e suas surpresas continuam a me envolver. Linearidades traduzem-se em monótona realidade. Curvas desafiam ...