RASCUNHOS DA ROGOLDONI

Rascunho versos. Neles, sentimentos.

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

FLORAÇÃO REDOBRADA



Encolhida no recolhido do amor
desembrulhou edredons do fundo do armário
como se abraçasse o sol.
A presença do inverno das estações
ritmava seu coração em compasso de calafrios.
Reaquecida e plena de emoções
desafiou o frio que ultrapassava sua janela.
Dançou entre névoas de tule
num esvoaçar de nuvens que desacelerou a pulsação.
Permitiu ao amor sobreviver àquele inverno,
Na próxima primavera
redobrar-se-á em flores.

©rosangelaSgoldoni
23 06 2019
RL T 6 749 568

domingo, 15 de setembro de 2019

ESTAÇÕES DE VIDA



Fogem-me as estações!
Já não corro contra o tempo nesta viagem sem volta.

©rosangelaSgoldoni
28 04 2019

RL T 6 745 277

sexta-feira, 13 de setembro de 2019

MALQUISERAM...



Foi um distante
tão perto
que
se perderam no deserto
dos seus nós.
Desatados,
partidos os laços,
quebraram-se os elos,
quase flagelos,
lágrimas de amor.
Tempos em que a primavera
refletia o calendário
das flores.
Miosótis,
malmequer,
malquiseram
suas dores.
Inventariadas,
repartiram-se entre fachos,
matizes
e alguma luz.
Divididos,
multiplicaram suas emoções
nas tramas do amanhecer!
Sobreviveram ao caos dos sentimentos!

©rosangelaSgoldoni

11 09 2019
RL T 6 744 488

sábado, 7 de setembro de 2019

PAUTAS DE UMA VIDA



Pensava nas músicas que embalavam sua vida
num movimento inquieto,
um ninar disfarçado de etéreo
abrigo no infinito do não ser.
Partituras reprisadas
ao longo da vida com seus pares
endeusados,
alados,
amantes e amados,
esquadrias e esquadros
daqueles que a envolveram.
A cada nota sincopada
um suspiro de saudade;
um pentagrama desequilibrado
nas linhas desiludidas e desalinhadas
de motivação.
Ato contínuo,
realinhou sua pauta pelo cantar de um passarinho...
Outonal inspiração,
acreditou numa sinfonia a envolvê-la em versos
libertos e despertos de amor.

©rosangelaSgoldoni
01 05 2018 (inspiração)
07 09 2019 (conclusão)
RL T 6 739 908

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

GARGALHADAS



Há sorrisos recolhidos,
outros camuflados;
sorrisos encolhidos,
alguns escancarados.
Há sorrisos entre dentes,
posicionados para as lentes;
dito sorriso ensaiado
carimbo de agenda, forçado.
Há o sorriso discreto,
que não deve ser exposto,
também o magnético
a imantar o outro.
Tem o sorriso de lado,
um tanto desconfiado...
Mas o sorriso espontâneo,
desperta a alegria da alma
farol que ilumina os caminhos
não ensaia, explode em palmas...
Gargalhadas!

©rosangelaSgoldoni
30 08 2019
RL T 6 735 805

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

TUDO BEM COM VOCÊ?



Depois que a chuva passou
os relâmpagos acalmaram-se;
águas rio baixo,
uma calma aparente reinou.
Ela sozinha,
cama acima acordada
momento alta madrugada,
encolhida chorou.
Sua insônia acovardada
ouviu quando bateram à porta.
- Tudo bem com você?
Precisava saber!
Viajou no abraço trocado
em sonhos e sentidos de ser ...
Dormiu encharcada de amor
banhada pelas gotas de carinho
que clareavam a madrugada.
Amanheceu.
Havia um sol interior brilhando.

©rosangelaSgoldoni
24 08 2019
RL T 6 730 000

terça-feira, 20 de agosto de 2019

VERDE E AMARELO





Há uma tempestade elétrica,
magnética,
antiestética
nas entrelinhas dos 
paralelos ao sul do Equador.
Há medos,
ameaças,
deboches em meio aos brioches
expostos em vitrines das boas intenções.
Ah odientas vilanias,
mascaradas e plenas de covardia,
tua hipocrisia será erradicada
dos mandos e desmandos de uma Nação.
Seus filhos acordarão deste efeito anestésico,
saturados por analgésicos
em destemperadas soluções.
Assim
despertará o berço esplêndido
ao lado do verde e amarelo
que domina o hasteado pendão.
Amados filhos ainda serão.


©rosangelaSgoldoni
18 03 2019
RL T 6 724 658