domingo, 8 de julho de 2012

SEM RÉDEAS





Certezas que me desafiam
caem por terra:
cansei de esperas!
O que era imperativo,
deixou de ser  definitivo.
O futuro, que era pretérito,
torna-se presente.
Eu, infinitamente mais leve,
de certos imbróglios despeço-me.
Parto a galope
em busca do tempo perdido:
meu corcel, mais que atrevido,
guia-me  por esta nova estrada.
Eu e minha montaria
sem rédeas a serem guiadas.

©rosangelaSgoldoni
14 06 2012
RL T 3 767 482

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!

LONGPLAYS

  Envolvia todos os espaços, da sala ao rodopio dos passos. Traduziam-se em sentimentos: alegria ou sofrimento. Variados e inspirado...