sábado, 11 de novembro de 2017

ABRE-ALAS



Metralhadoras,
Fuzis perfilados.
Vidas em desespero: balas a esmo.
Ao encontro da fatalidade
a paz pede passagem!

“Ô abre-alas que eu quero passar!” *

©rosangelaSgoldoni
 10 11 2017
RL T 6 169 139


*verso de Chiquinha Gonzaga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!

LONGPLAYS

  Envolvia todos os espaços, da sala ao rodopio dos passos. Traduziam-se em sentimentos: alegria ou sofrimento. Variados e inspirado...