sábado, 21 de dezembro de 2013

UM CERTO FINAL DE PRIMAVERA





Retomo a caneta em repouso.
Três, cinco anos, não sei ...
Retorno partida, quebrada e vazia
mas firme nos meus passos.
Caminho sozinha,
enfrentando ventos contrários.
Procuro não olhar para os lados,
sigo em frente: não pretendo recolher cacos.
Batalhas, vencidas ou perdidas,
acima de tudo, sobrevividas.
Queria o sim,
vivi o talvez,
cheguei à solidão:
sem medos, enfrentando pesadelos..
Não sei se isso é paz,
percebo que, de  alguma forma, me atrai.
São poucos os planos,
apesar do desânimo,
sou dona de mim!


©rosangelaSgoldoni
07 12 1998
RL T 2 716 026

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem-vindo!

LONGPLAYS

  Envolvia todos os espaços, da sala ao rodopio dos passos. Traduziam-se em sentimentos: alegria ou sofrimento. Variados e inspirado...