Rascunho versos. Neles, sentimentos.

sábado, 30 de maio de 2015

TEMPOS DE OUTONO




Tempo
de
cores breves,
sorriso leve,
contemplação!
Tempo
de
alegorias
redefinidas
por
sugestão!

Desfolho-me solenemente a cada outono!
Tempos de ignorar a idade da razão.

Rogoldoni
22.05.2015 SMM

RL T 5 260 895

quarta-feira, 27 de maio de 2015

DESTEMPERO DE AMOR




Eu queria que fosse assim...
Você queria que fosse assado...
Cozinhamos o não conversado.

O amor destemperou!

©rosangelaSgoldoni
27 05 2015
SMM
RL T 5 257 439

domingo, 24 de maio de 2015

VERMELHOS




Céu
em
bordô,
borgonha
grená,
carmim
escarlate.
Faces
decoradas
em
sangue
uterino,
feminino,
menstruado,
vinho maturado!
Efervescência
de
bocas e pecados.
Calo-me!

©rosangelaSgoldoni
24 05 2015 SMM
RL T 5 253 455
Publicado na Antologia Poetas Fazendo Artes "nas Gerais", 2016, organização Sonia Imamura, Editora Delicatta

quinta-feira, 21 de maio de 2015

FILTRO DE SONHOS




Flutuo sobre o vai e vem que se
(re)quebra aos meus pés.
Asas de espuma,
plumas de arribação.
Ventos filtram meus sonhos.

Inteira(mente) recomposta!

©rosangelaSgoldoni
11 05 2015
Arraial d’Ajuda, BA
RL T 5 250 400

segunda-feira, 18 de maio de 2015

SENHORA DE SI



Naquele rosto
marcado pelo tempo
a juventude encontrara abrigo.
O brilho do olhar ainda se estendia além do horizonte.
Os brincos alongados combinavam com a
brevidade do louro que ostentavam
seus cabelos discretamente presos.
Suavemente bronzeada.
Um par de óculos de sol pendia do entreaberto da blusa.
Uma bengala cabeça de cão, talvez prata,
repousava a seu lado.
Ali, sentada, na sala de embarque do aeroporto,
Porto Seguro de suas emoções, pensei!
Senhora da razão de si mesma,
comprovava a luz que irradiava.

©rosangelaSgoldoni
Porto Seguro BA
15 05 2015
RL T 5 245 470

sábado, 16 de maio de 2015

VENTOS


Cabelos
emaranhados.
Ninhos
tecidos
ao
vento.
Liberdade
e
movimento.

Momentos!

©rosangelaSgoldoni
Arraial d’Ajuda BA
12 05 2015

RL T 5 243 909

quarta-feira, 13 de maio de 2015

BAIANA APRENDIZ




Rende-se a chuva,
encorpada ou miúda,
à ladeira D’Ajuda,
encontro com o mar.

Lava meus pés de ‘nativa’ *aprendiz!

Bahia matriz de
Todos os Santos,
mulatos sabores,
fartura,
fervores,
axé
te
(bem)diz!

©rosangelaSgoldoni
13 05 2015
Arraial D”Ajuda  BA

RL T 5 240 692

quarta-feira, 6 de maio de 2015

MÃE QUE É MÃE POR INSTINTO




É amor
no primeiro sugar o peito;
na primeira cólica;
no primeiro tombo;
na primeira dentição;
no primeiro dia de aula...
Mãe que é mãe por instinto é amor
nas primeiras amizades;
no primeiro deslize;
no primeiro namoro;
no primeiro vestibular
e outros, se houver;
na formatura;
no primeiro emprego;
na idade adulta;
acolhe genros e noras...
Mãe que é mãe por instinto,
ciente dum falso sequestro, *
refaz-se poesia indolor.

Este poema é dedicado
a todas as mães por instinto que não se esvaziam de amor
quando descobrem que o filho,
por mãos, talvez do destino,
traduz-se em delinquente/infrator.

©rosangelaSgoldoni
05 2015
RL T 5 231 040

sábado, 2 de maio de 2015

BAÚ ENTRE JANELAS




Guardo um baú de sonhos
(entreaberto)
no cantinho da janela.
Estratégia!
Sempre à vista,
vez por outra
remexido,
aspirado,
renovado,
escancarado.
Fugas eventuais
em tempos de maturação.
Maturadas,
janela descoberta:
asas!

©rosangelaSgoldoni
02 05 2015
RL T 5 228 295

ASSOCIAÇÃO CULTURAL POEMAS À FLOR DA PELE COMPLETA NOVE ANOS


O verso transpira.
À Flor da Pele surge o poema.
Numa trajetória de sucesso, sonhos e livros.
Parabéns à Associação Cultural Poemas à Flor da Pele pelos nove anos de divulgação e valorização do autor contemporâneo nacional.
Agradeço a oportunidade de participar desta caminhada.

rosangelaSgoldoni
maio 2015