Rascunho versos. Neles, sentimentos.

sábado, 28 de fevereiro de 2015

RIO DE JANEIRO 450 ANOS


Era a única foto que dispunha no momento da postagem.
Mas o Rio é Sol, mesmo em dia de chuva!



Brisa, véu de mar...
Montanhas de luz a sorrir...
Copas e badanas.

©rosangelaSgoldoni
01 03 2015
RL T 5 153 926

Parabéns à Cidade do Rio de Janeiro pelos seus 450 anos

FURTANDO CORES



Nem para mais
nem para menos!
Rosa na medida certa,
sombreado dourado
em meio ao cinza chumbo ameaçador.
Furto cores deste anoitecer
com sabor de novidade,
“pink” maturidade
aos olhos de um observador.
Flamingo-me!

©rosangelaSgoldoni
28 02 2015

RL T 5 152 762

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

AS ARARAS E O ARCO-ÍRIS


Deus,
quando criou as araras,
deu-lhes asas emplumadas,
liberdade conferida.
Insatisfeitas,
julgando-se imperfeitas,
atravessaram
o arco-íris.
Deus,
em sua infinita bondade,
presenteou-lhe s  as cores:
liberdade colorida!

©rosangelaSgoldoni
27 02 2015

RL T 5 152 310

DIVULGADO: UM BRINDE À POESIA NITEROI (Agenda março 2015)


quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

MANHÃS NUBLADAS






Sobre o viaduto, nesta manhã nublada, deixo para trás alguns incômodos, inclusive o engarrafamento que me sufoca.
Os desníveis da pista assemelham-se a uma gangorra, num incessante sobe e desce.
Chego ao plano,
aeroplano que me (e)levará além das nuvens.
Manhãs nubladas também oferecem novos horizontes!

26 02 2015
©rosangelaSgoldoni
RL T 5 151 453



quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

ONDE O TEMPO DESCANSA



Mansas,
Águas e charcos
Alagados
Salinas ao acaso
Berrantes
Boiadeiros
Comitivas e violas
Chalanas
Ribeirinho
Ribeirão
Cavalo e peão
Fogo de chão
Passarinhos
Passarões
Jacarés,
Sucuris
Onça pintada,
Natureza acalentada...

Pantanal,
remanso do tempo!

©rosangelaSgoldoni
25 02 2015
RL T 5 150 222

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

PARA VANY CAMPOS (A CORA CORALINA DOS PAMPAS)



PARABÉNS, VANY CAMPOS!

Senhora de Coxilha,
mais ao Sul,
Canguçu,
Vany Campos
Poesia,
agora vou festejar.
Rio Grande em cada rincão
instinto, suor e paixão,
muy sonhos a galopar...

E no galope da poesia
vaia Senhora de Coxilha,
além  fronteiras, divisas,
sua poesia  ecoar.
“Coralina dos Pampas”
proclamam!
Abençoados noventa anos!

Meu carinho e respeito
rosangelaSgoldoni

22 02 2015

sábado, 21 de fevereiro de 2015

PAUTAS E HORIZONTES




O verso escondeu-se entre pautas.
Fechei o caderno.
Na linha do poema o horizonte chorou.

©rosangelaSgoldoni
21 02 2015
RL T 5 145 234
Publicado na Antologia Café com Verso IV 2015
Editora Delicatta SP

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

O MEU CANSAÇO É DO TAMANHO DO MUNDO



Profundo silêncio
em região abissal

Envolta em correntes
deslizo serpente
procura silente
da energia vital.

A superfície distante
- não importa o percurso -
torna-se instigante:
Eu quero e busco!

Soltando as amarras
minh'alma extrapola
meu corpo se solta
e volto a sorrir!

Meu cansaço?
Deixei lá no fundo!


©rosangelaSgoldoni
05 10 2009

RL T 2 430 838

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

QUARTA E CINZAS


TEIAS E TRAMAS





Inverso
do
verso
que
tramo
em
teia,
divirto-me
poema
entrelaçando
ideias.
Meu teorema!

©rosangelaSgoldoni
17 02 2014
RL T 5 139 733

Publicado na Antologia Poetas Fazendo Artes "nas Gerais", 2016, organização Sonia Imamura, Editora Delicatta

domingo, 15 de fevereiro de 2015

O SER E O NÃO DIZER





Equilíbrio aparente
reveste minha inquietação
frente ao mundo,
ao tudo
que me cerca.
Infância,
descobertas,
olhares além do indispensável.
Esta coerência,
por vezes,
inadiável,
não se dissolve frente a
qualquer explicação.
Não busco lógica ou filosofia.
Somente a harmonia necessária
entre o ser e o não dizer!

©rosangelaSgoldoni
16 02 2015
RL T 5 138 732

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

PORTA-BANDEIRA




Na roda da saia
desfilam seus sonhos.
A porta-bandeira,
linda e faceira,
rainha ou princesa
supõe-se.

Num minueto/batuque
repiques e pratos:
desliza no salto
com o seu mestre-sala.
Avenida em transe,
reverência e aplausos.

Na dispersão,
sombria verdade:
de volta ao bloco da realidade.

©rosangelaSgoldoni
13 02 2015
RL T 5 135 938

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

POR ENTRE VENEZIANAS




cômodos
quartos
tomam de assalto
minhas
lembranças.
cheiros,
sons,
táteis impressões,
olhos saciados,
sabores de amor.

cômodos
quartos
sufocados
[a]guardam,
suspiros
por entre venezianas.

©rosangelaSgoldoni
12 02 2015
RL T 5 134 353
Publicado na Antologia Café com Verso IV 2015
Editora Delicatta SP

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

ROSAS E BOTÕES





ROSA
na
RODA
da
vida
esboça
um
SORRISO
perturbador.
Por
outras,
desbota-se
em
pesadelos
num
fio
não condutor.

Aguardo o desabrochar de novos BOTÕES!

©rosangelaSgoldoni
09 02 2015

RL T  5 131 857

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

QUARTO DE LUA NO ASFALTO




Lua perdida em seu quarto
abre picadas de luz
na selva de asfalto.
Rua minguante de cores
explode em odores
e alguns sobressaltos.
Gente de todas as poses,
farrapos, bolores,
esbarram-se ao acaso.

O betume resplandece prateado.
Sorriem os desocupados de ocasião.

©rosangelaSgoldoni
11 12 2014
RL T 5 128 209

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

AMOR PROFANO





Este amor que é só nosso,
total, secreto, insano,
derrapa por vários anos
e retoma seu rumo profano!

Este amor tão explosivo
que não pode ser exposto,
a calma que hoje o envolve
reflete em nossos rostos.

Esse amor que é tão nosso
descubro-o agora maduro;
sem cobranças ou perjuros,
não há posse, é concluso!


©rosangelaSgoldoni
12 12 2009

RL T 2 489 035
revisada em 16 11 2014

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

COISAS DE SER HUMANA II




O meu ser humana poesia também caminha ao lado da política.
O meu ser humana sonhadora também encara o inquestionável.
O meu ser humana divertida, vez por outra, parte ao encontro da saudade.
O meu lado ser humana caridade ensaia a cada dia. Há muitos ensaios a me aguardar.
O meu ser humana e mãe vai além da realidade quando diz o que é preciso, mesmo que uma lágrima pouse sobre a face.
O meu lado ser humana questiona:
- Valeu a pena?
E o outro lado responde:
- Deixa pra lá!

©rosangelaSgoldoni
03 02 2015
RL T 5 125 014

domingo, 1 de fevereiro de 2015

TRANSVERSAIS DE VIDA




Atravessei a lua
que atravessava a rua
distraída.
Ela,
travessão da noite;
eu,
transversais de vida.

A cada esquina uma desilusão.
Na bagagem, quinquilharias.

©rosangelaSgoldoni
01 02 2015

RL T 5 122 383