Rascunho versos. Neles, sentimentos.

sábado, 29 de junho de 2013

ASAS DE PARKINSON




Duas almas
predestinadas
singraram mares
em meio a tormentas.
Ondas encrespadas,
luzes embaçadas...

Sobrevivência!

Resistiram entrelaçadas
até o juízo final.
Tremores nas asas de Parkinson
guiaram meu anjo aos céus.

Restaram-me as saudades,
encarte,
daquela que me concebeu.

©rosangelaSgoldoni
30 06 2013
RL T 4 364 765

quinta-feira, 27 de junho de 2013

URGÊNCIA DE SER FELIZ




Deperta
o
jardim
ao
farfalhar
de
asas.
Burburinho
insano,
nuvem
de
borboletas,
panapaná
em piruetas...
Minha lucidez proclama,
sem dramas,
urgente é ser feliz!

©rosangelaSgoldoni
27 06 2013
RL T 4 360 221

terça-feira, 25 de junho de 2013

RESPEITO




Estou cansada de gente que
só  quer levar vantagem.
Estou cansada de espertalhões,
de analfabetos funcionais
e outros tantos mais.
Cansada de ditos e desmentidos,
ditadores com ares de profeta.
Sim, isto me afeta!
O que eu quero, é pouco,
não custa um grama de ouro
Eu só quero
RESPEITO
pelo que 
sou
e
penso:
não jogo palavras ao vento!

©rosangelaSgoldoni
29 11 2010
RL T 2 644 682

Originalmente escrita para uma campanha
de “Respeito aos Direitos Autorais” mas,
adequada aos dias de hoje.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

INVERNO




INVERNO

Encurtam-se os dias.
Cedo desliza o sol trás os montes.
Envolta em cachecol de esperas
revela-se a noite.

O frio ensaia congelar a palavra que,
em busca de sobrevivência,
se recusa a hibernar.

Inverno que me espreita
(por entre vitrines a espelhar),
não me verás claudicar!

Os amores dos quais me purgo
cederão lugar no futuro
(talvez pareça absurdo)
a  um bem maior por chegar.

O inverno também passa!

24 06 2013
©rosangelaSgoldoni
RL T 4 356 000

sábado, 22 de junho de 2013

SÃO JOÃO



Chapéu de palha,
trancinhas,
saia rodada
balão.
Pé-de-moleque,
fogueira,
batata doce,
quentão.
Quadrilha,
bandeirolas,
casamento,
sanfoneiro
São João!

©rosangelaSgoldoni
18 06 2013
RL T 4 348 133

sexta-feira, 21 de junho de 2013

LEMBRANÇAS E ALGUNS DESENGANOS



Espraiam-se sobre a ardósia,
em cadência de marolas,
verdes fachos luminescentes.

O luar magnetizado,
ante as juras dos amantes,
revela-se perturbante.

Estaias imaginárias,
pilares cotidianos
abrandam meus sentimentos:
recolho-me aos aposentos
das lembranças e de alguns desenganos.

©rosangelaSgoldoni
21 06 2013


RL T 4 352 555
Poesia publicada na Antologia Poemas à Flor da Pele, volume 7, 2013, Editora Somar

sábado, 15 de junho de 2013

ESTEIO E ORAÇÃO




Meu lado caipira assumido
dança forró e quadrilha;
guia-me a caminho da roça,
quentão, cuscuz e paçoca.

A fogueira acesa ilumina
toda a gente a sua volta;
Pedro Antonio e João
lá do céu participam da prosa.

Gente simples, cigarro de palha,
esperança que explode em rojão;
no sertão onde a fé não se abala,
sertanejo, esteio e oração.

©rosangelaSgoldoni
15 06 2013
RL T 4 342 175

terça-feira, 11 de junho de 2013

NAMORADOS



Abraços,
cuidados,
(entre/laços
sistêmicos),
Anuências,
imprudências,
silêncios.
Enredo
em aconchego
à
in/transitividade
do
verbo
amar.

©rosangelaSgoldoni
08 06 2013
RL T 4 334 505

segunda-feira, 10 de junho de 2013

ATO DE CONTRIÇÃO




Gestos largos,
entregou-se ao abraço
sem qualquer precaução.
Egoísmo à parte,
desterrou suas verdades
das vindimas solidão.
Gota a gota
um destilado de vinho
em seletiva graduação.
Suavizar era preciso,
embriagar-se um bom motivo,
entrincheirar-se na paixão.

Estreito sentimento,
entregou-se à realidade
em ato de contrição.

©rosangelaSgoldoni
11 06 2013
RL T 4 335 301

sábado, 8 de junho de 2013

O BANQUETE




O convidado entrou:
deu-se ao banquete.

Sem comprometimentos,
  apenas consentimentos
e agrados ao paladar.
Deixou vestígios na pele,
que,
de tão leves,
sequer ruborizaram.
Partiu assustado e refeito,
talvez um tanto sem jeito
frente a um coração insuspeito
que não se deixou tatuar:
(apenas agradeceu)
- Valeu!
Em voltar,
há que marcar assento,
pois coisas de envolvimento
mexem com sentimentos
que estão a dormitar.
Não se trata de um conto de fadas,
nem príncipes e adormecidas,
um portfólio de vida
que teima em se organizar.

©rosangelaSgoldoni
03 06 2013
RL T 4 331 639

terça-feira, 4 de junho de 2013

ENSAIO CREPUSCULAR



Ensaio
uma festa a cada dia,
visões otimistas
e sorrisos a esbanjar.
Projetos que reúnam energias,
faíscas de alegrias
que transpareçam no olhar.
Redescubro sutis gentilezas,
delícias e surpresas
latentes a borbulhar.
Passeiam movimentos,
sinergia,
cumplicidade,
e poesia
neste ensaio crepuscular.

©rosangelaSgoldoni
05 06 2013
RL T 4 325 857

sábado, 1 de junho de 2013

A MENINA E O BALÃO COR-DE-ROSA



A menina e o balão cor-de-rosa
eram amigos: ouvidos e prosas.
Percorriam sonhos em rimas,
viajavam em fantasias.

Às vezes, ao mundo da lua,
outras ao fundo da terra;
as Três Marias eram suas
no seu mundo desconheciam-se as guerras.

Visitando o profundo do mar,
os peixinhos pareciam dançar.
O escuro do qual tinha medo,
não ocultava tenebrosos segredos.

A menina e o balão cor-de-rosa,
pediam a Deus com carinho
que a brindasse com a profecia:
de crescer e tornar-se poetisa!

©rosangelaSgoldoni
02 06 2013
RL T 4 320 977