Rascunho versos. Neles, sentimentos.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

SONHO DE ANO NOVO






 

O ANO QUE AGORA FINDA






No ano que agora finda
declaro a bem da verdade:
o ganho maior para mim
compartilhar da sua amizade,
com aromas de bejoim
e gostinho de felicidade.
Que em 2015 continuemos
juntos na caminhada.
Que as alegrias sejam constantes!

Tristeza?
Uma palavra no dicionário!

Feliz Ano Novo!


©rosangelaSgoldoni
2011/2012/2013/2014/2015
RLT 2 699 314

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

CONJUGANDO POESIA





EU madrugada
TU poesias
ELE leitor
NÓS divagamos
VÓS decifrais
ELES devoram sonhos !


©rosangelaSgoldoni
28 12 2011
RL T 3 410 611

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

UM NOVO ANO CHEGANDO




Há um novo ano chegando,
com ele, expectativas.
Dê continuidade a seus planos,
proponha-se novas conquistas.

Sonhe grande, alce vôo,
riscos são calculados;
nada faça a contragosto
sorrisos são necessários.

Reinvente-se cientista,
quem sabe, um visionário,
talvez articulista
ou dedicado missionário.

Aposte na poesia
como alimento diário,
enriquecerá o seu mundo:
esta, sim, um bem necessário!




©rosangelaSgoldoni
28 12 2011
RL T 3 409 992

RENDIÇÃO INCONDICIONAL



Quisera afogar-me num copo de cerveja.
Quem sabe, numa taça dum bom tinto!
Mas pondero: estou a desconhecer meus versos!
O máximo que me permito é um mini-panetone.
Não, não estou de dieta,
sou diabética.
Mando às favas glicoses, frutoses
açúcares e xaropes.
Do tanto que me foi retirado,
do muito que me foi suprimido,
dos sentimentos invalidados
e os que o foram indeferidos,
extraídos a fórceps
ou negados por principio,
eu me rendo incondicionalmente
e, assim,
EU ME PERMITO!
Não estou a questionar a vida,
mas há días em que é preciso gritar,
e se a boa educação impede,
a poesia não vai me negar!

©rosangelaSgoldoni
19 12 2011
RL T 3 409 981

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

ELEMENTARES CONSIDERAÇÕES SOBRE O TEMPO




O tempo perpetua-se:
através do tempo que já passou;
no presente que acabou de passar e
no futuro que alguém projeta
sem garantia de que virá!

©rosangelaSgoldoni
27 12 2011
RL T 3 408 261

AQUELE PERFUME


Aquele perfume que usavas para mim,
foi dispersado no ribeirão
você me esqueceu, tão rápido assim...
que optei pela margem razão.
E se algum dia sentires saudades
daquela fragância: serás solidão;
tenta encontrá-la na outra margem,
esta sim, chamada emoção.

©rosangelaSgoldoni
26 12 2011
RL T 3 407 335

domingo, 25 de dezembro de 2011

UM BRINDE AOS MEUS FILHOS



UM BRINDE AOS MEUS FILHOS


Que se danem os pobres de espíritos,
loucos de ocasião,
amargurados de plantão !

Invejosos, calai-vos !

Não serão dignos de piedade
os que passam pela vida
semeando os frutos da desunião !

A vocês ergo uma taça,
um vinho de boa safra,
meu desprezo é o melhor pregão :

Brindo a mim e aos meus filhos,
vitoriosos apesar do desatino
de pessoas que se disfarçam de bons cristãos !

Rosângela de Souza Goldoni
25 12 2011
RL T 3 405 814

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

PAPAI NOEL POR UM DIA





Quando fui Papai Noel
numa festa do interior,
a emoção não defini:
foi além do que pude supor.

O sorriso de cada criança,
o abraço mais apertado
traduzia esperança
nos olhinhos iluminados.

Experiência inigualável!

Que o seu Natal seja de encontros
e boas lembranças.

©rosangelaSgoldoni
24 12 2011
RL T 3 404 211

SONHOS EM CAMPOS DE LAVANDA





Sonhos em Campos de Lavanda

Sonhos coloridos
levam-me ao infinito,
muito além do arco-íris.

Delíros e magias,
deliciosas fantasias,
banquetes perfumados.

Sonhando acordada,
na varanda recostada,
vejo-me em liláses.

Violetas e hortências
passeiam em guirlandas
sobre campos de lavanda.


©rosangelaSgoldoni
21 02 2011
RL T 2 806 896

Poesia publicada na Antologia Poeta, Mostra a Tua Cara, vol. 10 – 2013  (Proyecto Cultural Sur Brasil, XXI Congresso de Poesia Brasileira)

UMA VOVÓ DO BARULHO


Quando eu for bem velhinha,
não quero ocupar ninguém:
volto a ser criancinha
embora não seja neném.

Muito antes de velhinha
pretendo meu jeito mudar:
vou levar minha vidinha,
não tem chope tomo chá.

Outro problema que existe
e pretendo resolver:
não quero morar com filhos
nem deles depender.

E eu que falo demais
não quero ser desagrado.
Num recanto, de bom grado,
conservarei meus laços
e algum amor que na vida plantei.


©rosangelaSgoldoni
01 05 2010
R L T 2 428 848
revisado em 11 08 2015

PARALELAS EM COMUNHÃO



Ao longo de trinta anos,
não sei se passei por meus filhos
ou se eles passaram por mim.

Talvez a verdade seja outra:
passamos juntos,
lado a lado,
paralelas em comunhão.

©rosangelaSgoldoni
10 02 2011
RL T 2 784 818

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

ECCE HOMO





Ecce Homo

Daquele Homem pregado na Cruz,
esperamos novo ressuscitar;
que meu coração preencha de Luz
e faça o perdão em todos brotar...
Aquele Homem chamado Jesus
que traz no peito o verbo amar,
que seja forte a fé que traduz
o Natal que estamos a comemorar!
©rosangelaSgoldoni
22 12 2011
RL T 3 401 118

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

AOS AMIGOS






Você que é real ou somente uma foto,
o que importa é a presença:
é disso que eu gosto!
Poetas, estetas ou sonhadores
a todos vocês meu respeito e louvores.

Se uma ou várias mensagens envia,
não se preocupe, enriquece o meu dia.
Agradeço aqui o convívio diário,
acima de tudo um convívio saudável.
Desejo um Natal de total harmonia
e no Ano Novo explosão de alegrias.

©rosangelaSgoldoni
21 12 2011
RL T 3 399 547

FELIZ NATAL






Natal remanso.
Estrela benfazeja.
Sinos ecoam.

©rosangelaSgoldoni
20 12 2011
RL T 3 399 396

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

PORTA ENTREABERTA




PORTA ENTREABERTA

Definitivo é palavra concreta:
porta fechada nem janela indiscreta.
Prefiro o mistério das portas entreabertas.

©rosangelaSgoldoni
20 12 2011
RL T 3 397 900

domingo, 18 de dezembro de 2011

TRANSFORMANDO CACOS EM MOSAICOS



Muitas vezes desistir é sensato.
Mas não significa recuar.
E quando se faz necessário,
recolho os cacos
e os transformo num belo mosaico.
Assim preencho meus planos
de coloridos sutis.
Meus caminhos têm os limites do horizonte
e eu sigo plena de mim.

©rosangelaSgoldoni
17 12 2011
RL T 3 395 070