Rascunho versos. Neles, sentimentos.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

VITÓRIA - RÉGIA



RL T 3 251 050


 Poesia publicada na Antologia “Um Universo Ecologicamente Poético”, Iluminuras Gráfica e Editora, página 139, Maceió 2012

SOBREVIDA


A VIAGEM PARA MUITO LONGE DESCE POR
DENTRO DA PELE.

Evandro Affonso Ferreira

EXERCÍCIO POÉTICO


SOBREVIDA

Busco-me inteira: sobrevida;
em meio a um furacão devastador,
percebo que é difícil a saída
sem um toque ou vestigio sonhador.

Sob a pele explodem em turbulência
os canais que me levam ao estertor;
muito longe avisto a imprudência
transmutada em  possível agressor.

E, em meio ao delírio, sou criança,
sensações que despertam-me  torpor;
fui tão longe por instinto e sem malícia,
a mais longa viagem interior.

©rosangelaSgoldoni
30 09 2011
RL T 3 250 757

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

A MÁGICA NA POESIA



Versos longos ou curtos?
Só quero o conteúdo!
Rimas ricas ou pobres?
Só quero das rimas suporte!
Tristeza ou alegria?
Isto depende do dia!
E o amor, então, como fica?
É mágica na poesia!
E eu apenas esteta,
acredito-me poeta!

©rosangelaSgoldoni
12 08 2011
RL T 3 249 162

PARCEIROS DO BEM VIVER




PARCEIROS DO BEM VIVER

Sim, amigo,
estou contigo!
Caminhemos lado a lado
compartilhando
os revezes ou
benesses da vida.
Alegrias?
Vamos dividi-las!
Tristezas?
Não cabem em
nossas certezas,
Que seja a camaradagem
conteúdo de nossa bagagem,
no caminho do bem viver!


©rosangelaSgoldoni
28 09 2011
RL T 3 247 040

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

FALSO RUBI




FALSO RUBI

Estou sentindo sua falta,
minha pedra falsa!
Um rubi sintético
que não tem meu crédito
mas, na minha cama,
brilha sob os holofotes
das nossas solidões.

Estou sentindo sua falta,
eu, poema incompleto,
coração inquieto,
poeta em construção.

Estou sentindo sua falta.
Não sei se choro,
ou simplesmente imploro:
volte mais uma vez.
E que seja definitiva
minha cama em sua vida,
nosso amor, embriaguez!

©rosangelaSgoldoni
26 09 2011
RL T 3 241 257

sábado, 24 de setembro de 2011

AMANTES DESAFIAM O ACASO






Amantes são iluminados
que desafiam o acaso
e  se perdem no amanhecer.
Destino improvisado,
que não pode ser revelado,
saudades sempre a tecer.
Estampas de mil motivos,
encobrem sonhos tingidos,
aquarelas do entristecer.

©rosangelaSgoldoni
25 09 2011
RL T 3 239 369

DESERTO DA MINHA QUERÊNCIA




Da janela do meu quarto
o vazio da tua ausência
transporta-me sem piedade
ao deserto da minha querência.
E vejo-me sucumbir
ao delírio da paixão,
não sei se vai resistir
este pobre coração.
Mas quando a lua surgir
renovar-me-ei em esperanças,
voltará meu menino infeliz:
pedirá colo e será constância.
©rosangelaSgoldoni
24 09 2011
RL T 3 238 204

PERDEU!




PERDEU!

Lamento por você!
Por mim?
Nada perdi!
Mais um amor,
uma despedida,
acrescentei momentos
que valorizam a vida.
E você?
Sem rumo ou prumo,
patina pelas esquinas
tentando me esquecer!
Perdeu!
Lavei  a sua fronha,
livrei-me da peçonha:
restrinja-se ao que colheu.
Plantou insanidade,
ignorou a realidade.
Deixo-lhe um beijo
e o meu adeus!

©rosangelaSgoldoni
23 09 2011
RL T 3 235 702

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

PASSAGEM DE VOLTA EM ABERTO




Cansei de responsabilidades
(já passei da idade).
De dias comprometidos,
datas marcadas sem permissão
(talvez da vida imposição).
Quero meu tempo liberto,
sem agendas ou cobranças,
o mundo por opção.
Quero destinos incertos,
passagem de volta em aberto,
a poesia da estrada de chão
ou no cais, de prontidão!



©rosangelaSgoldoni
22 09 2011
RL T 3 235 287




SÍNTESE DE UM FOLHETIM




Peço licença à natureza:
meu amor dorme!
Quero o silêncio dos pássaros,
a brisa calma e perfumada,
a mansidão do riacho.
apenas o som dos flautins.
Que eu esteja em seus sonhos
num mais que perfeito encontro,
síntese de um folhetim:
uma linda história de amor
que tenha um final feliz!
Um lugar quase comum,
Caminho traçado a giz!


©rosangelaSgoldoni
06 04 2011
RL T 2 892 185

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

REVELE-SE, TENHA CORAGEM!







Não se pode estar bem todos os dias:
 cheira a falsa alegria!
Se a tristeza chegar,
revele-se
tenha coragem,
não disfarce com maquiagem
e simplemente deixe-a passar!

©rosangelaSgoldoni
22 09 2011
RL T 3 233 700

MUTAÇÃO


MUTAÇÃO

Às vezes sinto-me um cacto,
firo-me com os espinhos,
ou os espalho pelo chão.
Não, não é por maldade,
sem perceber a saudade
interfere na minha razão.
Mas quando a chuva abençoa
os espinhos se revertem
na mais bela floração.
É quando o perfume me envolve,
os espinhos se dissolvem :
coração em frouxidão!

©rosangelaSgoldoni
13 09 2011
RL T 3 231 719

terça-feira, 20 de setembro de 2011

SIMPLESMENTE CALO!



Calo
os calos criados
que calejaram
a minha emoção.
Calo
o ressentimento
que me devora o coração.
Calo o indisplicinado
que subverte a minha razão.
Calo,
somente calo,
o amor que sinto
por  ti,
minha paixão!

©rosangelaSgoldoni
20 09 2011
RL T 3 231 280

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

TOLOS APAIONADOS




Esperei por você esta noite.
Queria sua boca na minha ,
braços entrelaçados,
refazer a mais pura loucura
dos tolos apaixonados.

A mágica madrugada,
totalmente desinteressada,
não se pronunciou.
A lua saiu de cena
e o poeta se calou!
Roguei a Deus,
aos deuses
fadas e duendes:
de nada adiantou.

Algumas lágrimas roladas
lavaram  as pedras da estrada,
mas você nem ligou.

©rosangelaSgoldoni
19 09 2011
RL T 3 228 864

sábado, 17 de setembro de 2011

NÃO ABRO MÃO DO MEU ESPAÇO




NÃO ABRO MÃO DO MEU ESPAÇO
Sou tantas que não me limito
aos contornos pré definidos
do meu corpo.
Extravaso, extrapolo,
ultrapasso  sem remorsos
o que a vida me ofertou.
Os advérbios de negação
transformo-os em afirmação.
As condicionais me estimulam
a ultrapasar obstáculos.
Algumas vezes, desabo,
mas ressurjo
 e direciono meus passos
rumo  à alegria,
mesmo que seja fantasia,
mas não abro mão do meu espaço.

©rosangelaSgoldoni
18 08 2011
RL T 3 225 944

TURBILHÃO DE SONS





Há dias em que a maré explode,
invade calçadas,
detrói amuradas:
eu grito por você!
Parece sussuro frente ao
absurdo
do turbilhão de sons
que oculta minha voz!
Mas quando retorno à praia,
a maré baixa, espelho d’água,
você deixa de ser miragem.
Esqueço todas as mágoas
e,  sorrindo, sou perdão !
©rosangelaSgoldoni
05 08 2011
RL T 3 224 250

NOSSOS FEROMÔNIOS




NOSSOS FEROMÔNIOS
O que somos?
Talvez uma brincadeira do destino!
Quem sabe tratar-se de uma
dependência química?
Nossos feromônios fogem às estatíticas.
Esqueçamos as justificativas,
entreguemo-nos sem culpas às carícias.
Voemos sem destinos previsíveis,
Nossos corpos são biocompatíveis.

©rosangelaSgoldoni
16 07 2011
RL T 3 224 222

AMOR UM TANTO TARDIO


AMOR UM TANTO TARDIO

Nosso amor quase tardio,
agora concretizado,
‘inda encontra desafios
em meio ao caminho plantados.
Embarcamos nesta viagem
abraçando a realidade,
projetos definidos
mãos dadas, lado a lado.
Num cesto de esperanças
depositamos nossas lidas;
eu, você, as lembranças
e um novo contexto de vida.

©rosangelaSgoldoni
16 09 2011
RL T 3 224 201